Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Inflação fecha 2016 abaixo do teto da meta dada pelo BC e Governo comemora

© Marcello Casal Jr/ABrO feijão apresentou queda no preço de novembro para dezembro
O feijão apresentou queda no preço de novembro para dezembro - Sputnik Brasil
Nos siga no
O IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou nesta quarta-feira (11), que a inflação oficial do país fecha 2016 em 6,29%, abaixo do teto da meta que tinha sido prevista pelo Banco Central e o Governo de 6,5%.

Segundo o IBGE, o IPCA, que é o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, do ano passado também ficou abaixo do registrado em 2015, que foi 10,67% e de 2014, que foi de 6,41%.

O índice foi comemorado nesta quarta-feira (11) pelo presidente Michel Temer, durante a reunião do Núcleo de Infraestrutura do governo. Para Temer, o resultado mostra que o Governo está no caminho certo.

"Hoje nós temos uma boa notícia. A questão da inflação oficial, lá atrás estava 10,70% a inflação e hoje está 6,29%, portanto, dentro da meta. O centro da meta é 4,5% a meta ia até 6,5% e hoje estabeleceu-se em 6,29%. A significar, portanto, que o governo está no caminho certo e adequando, dando resultados positivos. Ninguém esperava que ao final do ano se chegasse abaixo da meta estabelecida. A projeção para este ano é a redução ainda maior da inflação para ficar na verdade no centro da meta."

Bird prevê crescimento menor para o Brasil - Sputnik Brasil
Crescimento do Brasil este ano ainda será na base do voo de galinha
Segundo os dados do Instituto, a queda entre 2015 e 2016 foi determinada pela retração dos preços de produtos importantes para os brasileiros, especialmente alimentos.

Porém, mesmo fechando abaixo do teto da meta, o resultado de dezembro ficou acima do de novembro de 2016, quando a variação foi de 0,18% contra 0,26% de outubro. Neste caso, também influenciado pela alta dos preços do grupo alimentação e bebidas, passando de uma deflação de 0,20% em novembro para uma alta de 0,08% em dezembro; e também de Despesas Pessoais indo de 0,47% para 1,01% e de Transportes, que foi de 0,28% para 1,11%. De acordo com o IBGE, os alimentos passaram de uma inflação negativa em novembro para uma alta de 0,08% em dezembro em decorrência da alimentação consumida em casa, subindo de —0,47% em novembro para —0,05% em dezembro.

Com isso, apesar de alguns produtos alimentícios terem apresentado queda como o feijão-carioca e o leite, outros produtos importantes na mesa do brasileiro tiveram alta como o arroz, a carne e as frutas. Outro destaque de queda de preços em dezembro foi a conta de luz e as passagens aéreas, que ficaram mais baratas. 

 

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала