De olhos bem abertos: forças de segurança se intensificam para posse de Trump

© AP Photo / Pablo Martinez MonsivaisJornalistas junto ao Capitólio cobrindo os preparativos para a cerimônia de posse de Trump (20 de janeiro), em 8 de dezembro de 2016
Jornalistas junto ao Capitólio cobrindo os preparativos para a cerimônia de posse de Trump (20 de janeiro), em 8 de dezembro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
No âmbito de possíveis alvoroços civis, a Guarda Nacional dos EUA e outras forças de segurança estão se preparando para a futura posse de Donald Trump.

Demonstrantes protestam contra a eleiçao de Donald Trump como novo presidente dos EUA perante a Torre de Trump em Nova York, EUA, 12 de novembro de 2016 - Sputnik Brasil
Celebridades dos EUA não querem nada com Trump
Até 5 mil militares da Guarda Nacional serão mobilizados em 20 de janeiro para garantir segurança durante a cerimônia de posse do presidente eleito Donald Trump. O contingente será reforçado por 3 mil oficiais de outros órgãos jurisdicionais.

Washington está sendo vigiado rigorosamente, mesmo assim, há quem possa tentar parar o evento ou pelo menos chamar a atenção.

"Através das redes sociais, pessoas estão comunicando possível paralização da posse ou de eventos", disse o chefe da polícia de Washington interino, Peter Newsham. "Estaremos preparados para isso", acrescentou.

Newsham adiantou que a polícia está monitorando as redes sociais a fim de se precaver contra possíveis interessados em fazer a cerimônia parar.

Em entrevista coletiva com os serviços secretos e outras forças de segurança, o prefeito de Washington, Muriel Bowser, reiterou que a cidade está preparada para o evento de 20 de janeiro, que, segundo ele, pode atrair o maior número de convidados na história.

As bonecas russas (matryoshkas) com retratos dos 5 últimos presidentes norte-americanos - Sputnik Brasil
Será que todos os ex-presidentes dos EUA vão comparecer na posse de Trump?
Mais 8 mil pessoas foram convidadas para a posse, inclusive "oficiais da Patrulha Fronteiriça dos EUA, soldados da guarda colorida, bandas de marcha das escolas secundárias e universidades, corpo equestre, equipes de emergência, combatentes feridos, veteranos, cavalaria e orquestras de sopro e percussão", de acordo diz o Washington Times.

Trump, que tomará posse em 20 de janeiro, rejeitou os serviços do comentarista Charlie Brotman, responsável pelos comentários das cerimônias de posse presidencial ao longo dos últimos 60 anos. Porém, Brotman recebeu um assento VIP na cerimônia, embora não esteja claro se comparecerá ou não.

No lugar de Brotman, a cerimônia será comentada pelo radialista do clube de baseball Washington Nationals, Steve Ray, de 56 anos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала