Opinião: conflito ucraniano tem previsão de escalada antes da posse de Trump

© AFP 2022 / ANATOLII STEPANOVSoldado ucraniano dirigindo um veículo blindado de transporte na região de Donetsk, na Ucrânia
Soldado ucraniano dirigindo um veículo blindado de transporte na região de Donetsk, na Ucrânia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A tensão em Donbass vão aumentar até que o presidente eleito dos EUA Donald Trump e sua equipe assumam o poder, opinou Vadim Kolesnichenko, presidente do Conselho Internacional de Compatriotas Russos.

Situação na região de Donetsk - Sputnik Brasil
Kiev revela quando reestabelecerá o controle sobre Donbass
Em entrevista ao serviço russo da rádio Sputnik, Kolesnichenko destacou que os acordos de Minsk morreram antes de nascer e que os confrontos ocorrem diariamente.

"As Forças Armadas ucranianas bombardeiam as repúblicas de Donetsk e Lugansk (RPD e RPL) a cada dia. Isso dá razão para acreditar que o conflito vai escalar até que a nova administração chegue ao poder na Casa Branca", acha Kolesnichenko.

Na opinião dele, é pouco provável que a equipe de Trump siga a linha das políticas do presidente cessante Barack Obama em relação à Ucrânia. Kolesnichenko aponta que a postura de Trump é bem diferente e que a Europa já está cansada da questão ucraniana:

"É como uma facada no coração de Kiev", compara.

Além disso, Kolesnichenko comentou a chegada de conselheiros estrangeiros à Ucrânia, com objetivo de treinar as Forças Armadas do país, caracterizando-os como "mercenários que trabalham por dinheiro". No entanto, de acordo com ele, o papel destes conselheiros "não deve ser subestimado" e que estes realmente representam um perigo, sendo "capazes de levar a cabo ataques de sabotagem que acontecem com frequência em Donbass".

Testes de voo de controle de mísseis balísticos de longo alcance da Ucrânia durante treinamentos militares perto da Crimea, 1 de decembro, 2016 - Sputnik Brasil
Por que Ucrânia testa seus mísseis perto da Crimeia?
Ao mesmo tempo, Kolesnichenko acha que "Kiev será incapaz de envolver a Rússia e as repúblicas populares de Donetsk e Lugansk em um conflito armado de grande escala", tomando em conta o fato de que as Forças Armadas ucranianas "estão desmoralizadas".

"Ninguém quer combater. Mas quando um animal agressivo está morrendo, ele é capaz de causar grandes danos. As Forças Armadas da Ucrânia são perigosas; elas têm medo de si próprias", conclui Kolesnichenko.

As autoridades da Ucrânia continuam realizando desde fevereiro de 2014 uma operação militar contra as autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk (RPD e RPL) que, preocupadas com a política das novas autoridades do país, decidiram ficar juntas e formar a região de Donbass, rejeitando a legitimidade do novo gabinete em Kiev.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала