Inteligência dos EUA será processada por ter acusado 'hackers russos'

© AFP 2022 / SAUL LOEBCIA
CIA - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O jornalista Jason Leopold e o estudante do doutorado do Instituto Tecnológico de Massachusetts Ryan Shapiro apresentaram uma queixa contra vários serviços secretos dos EUA, exigindo a divulgação dos documentos sobre os "hackers russos" alegadamente envolvidos nas presidenciais.

Segundo a revista norte-americana The Hill, os ativistas querem receber informação da Agência Central de Inteligência (CIA), Agência Federal de Investigação (FBI), Departamento de Segurança Nacional e Escritório do Diretor da Inteligência Nacional. Eles exigem tornar públicos os documentos trocados entre os serviços secretos e o Congresso, Comitês dos Partidos Republicano e Democrata e outras organizações políticas, inclusive o Colégio Eleitoral.

Os soldados da Guarda Nacional dos EUA trabalhando nos computadores - Sputnik Brasil
Alegações de ataques hackers da Rússia são rentáveis para inteligência militar dos EUA
Leopold e Shapiro afirmam que apresentaram o pedido aos serviços secretos em 14 de dezembro, baseando-se na Lei para a Liberdade de Informação, mas não receberam resposta. Depois disso, os ativistas recorreram ao Tribunal Federal em Washington.

Jason Leopold já litigou com o governo norte-americano, pedindo para revelar as mensagens de Hillary Clinton quando ela era secretária de Estado dos EUA.

Em outubro, os serviços de inteligência dos EUA declararam que hackers russos seriam os responsáveis por ciberataques contra os sistemas eleitorais do país. Moscou refutou de forma veemente essas acusações e exigiu a apresentação de provas, o que não foi feito até o momento. Além disso, a Casa Branca reconheceu que, no dia das eleições, não foi observada nenhuma atividade irregular no ciberespaço.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала