Ministro da Defesa russo: mais de 160 modelos de armas avançadas testadas na Síria

Nos siga noTelegram
O ministro da Defesa da Rússia Sergei Shoigu declarou na terça-feira (27) que mais de 160 modelos de armas avançadas e perspectivas foram testadas no decorrer da operação militar russa na Síria.

Famílias sírias recebem lote de ajuda humanitária em Aleppo - Sputnik Brasil
'Apoio da Rússia foi decisivo para Síria reconquistar Aleppo'
Segundo o ministro, essas armas "demonstraram sua alta confiabilidade".

De acordo com Shoigu, que discursou durante uma reunião do Ministério da Defesa transmitida pelo canal Rossiya 24, "foram realizados mais de 3.630 exercícios militares e cinco inspeções de combate. Eles demonstraram o aumento de nível de preparação e coordenação das Forças Armadas russas".

© Sputnik / Maksim Blinov  / Abrir o banco de imagensAo retirar seu grupo aéreo da Síria, a Rússia não abdicou de seus compromissos em fornecer armas e material militar ao governo sírio e realizar treinamento de seus especialistas militares, a base aérea de Hmeymim e o posto de apoio técnico da Marinha russa em Tartus continuam funcionando.
Avião russo Su-24 na pista de decolagem, base aérea de Hmeymim, Síria - Sputnik Brasil
1/5
Ao retirar seu grupo aéreo da Síria, a Rússia não abdicou de seus compromissos em fornecer armas e material militar ao governo sírio e realizar treinamento de seus especialistas militares, a base aérea de Hmeymim e o posto de apoio técnico da Marinha russa em Tartus continuam funcionando.
© Sputnik / Maksim Blinov / Abrir o banco de imagensO grupo da Força Aeroespacial russa inclui caças Su-24M e Su-34, bombardeiros de longo alcance Tu-22M3, aviões de assalto Su-25SM, caças multifuncionais Su-30SM (na foto acima) e Su-35S que protegiam a aviação a partir no ar.
Caça Su-30 realizando pouso na base aérea de Hmeymim - Sputnik Brasil
2/5
O grupo da Força Aeroespacial russa inclui caças Su-24M e Su-34, bombardeiros de longo alcance Tu-22M3, aviões de assalto Su-25SM, caças multifuncionais Su-30SM (na foto acima) e Su-35S que protegiam a aviação a partir no ar.
© Sputnik / Dmitry Vinogradov / Abrir o banco de imagensMilitares que participam das operações dos aviões militares russos na Síria ficam instalados na base aérea de Hmeymim, perto de Latakia.
Militares russos colocam míssil de alta precisão X-25 em um caça Su-24 - Sputnik Brasil
3/5
Militares que participam das operações dos aviões militares russos na Síria ficam instalados na base aérea de Hmeymim, perto de Latakia.
© Sputnik / Ministério da Defesa russo / Abrir o banco de imagensPiloto de caça russo Su-30 da Força Aeroespacial russa durante missão militar na Síria.
Piloto de caça russo Su-30 da Força Aeroespacial russa durante missão militar na Síria - Sputnik Brasil
4/5
Piloto de caça russo Su-30 da Força Aeroespacial russa durante missão militar na Síria.
© Sputnik / Ministério da Defesa russo / Abrir o banco de imagensGraças aos ataques do grupo aéreo russo na Síria, a Rússia conseguiu alterar drasticamente a situação e causar danos aos recursos e meios dos terroristas.
Caça-bombardeiro Su-34 durante lançamento de ataque aéreo nas províncias de Raqqa e Aleppo na Síria - Sputnik Brasil
5/5
Graças aos ataques do grupo aéreo russo na Síria, a Rússia conseguiu alterar drasticamente a situação e causar danos aos recursos e meios dos terroristas.
1/5
Ao retirar seu grupo aéreo da Síria, a Rússia não abdicou de seus compromissos em fornecer armas e material militar ao governo sírio e realizar treinamento de seus especialistas militares, a base aérea de Hmeymim e o posto de apoio técnico da Marinha russa em Tartus continuam funcionando.
2/5
O grupo da Força Aeroespacial russa inclui caças Su-24M e Su-34, bombardeiros de longo alcance Tu-22M3, aviões de assalto Su-25SM, caças multifuncionais Su-30SM (na foto acima) e Su-35S que protegiam a aviação a partir no ar.
3/5
Militares que participam das operações dos aviões militares russos na Síria ficam instalados na base aérea de Hmeymim, perto de Latakia.
4/5
Piloto de caça russo Su-30 da Força Aeroespacial russa durante missão militar na Síria.
5/5
Graças aos ataques do grupo aéreo russo na Síria, a Rússia conseguiu alterar drasticamente a situação e causar danos aos recursos e meios dos terroristas.

Em 22 de dezembro, Shoigu declarou que desde o início da campanha aérea na Síria a Força Aeroespacial russa lançou 71.000 ataques aéreos e eliminou 35.000 terroristas, destruindo também 700 campos de treinamento na Síria.

A Rússia lançou uma operação aérea contra as posições terroristas na Síria, em 30 de setembro de 2015, a pedido do presidente sírio Bashar Assad. Nesse período, até março de 2016, a aviação russa realizou mais de 9 mil missões contra o Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia), apoiando Damasco em ofensivas nas regiões decisivas do país.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала