Pequim lança 'sinal claro' aos EUA: apenas 'uma só China'

© AP Photo / Andy WongDonald Trump na mídia chinesa (Foto de arquivo, 10 de novembro de 2016)
Donald Trump na mídia chinesa (Foto de arquivo, 10 de novembro de 2016) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Com a aproximação da cerimônia da posse de Trump, a China reitera a importância de respeitar os interesses fundamentais nas relações bilaterais, disse recentemente o chanceler chinês Wang Yi.

Bandeiras nacionais dos EUA e da China - Sputnik Brasil
China adverte eventuais dificuldades nas relações com EUA após posse de Trump
Na entrevista à Sputnik China o especialista em política asiática Andrei Korneev expressou a sua posição relativamente às relações bilaterais sino-americanas.

O especialista acredita que a vitória de Donald Trump causou uma séria preocupação do lado chinês com a possível mudança na política externa norte-americana. Há analistas que preveem mesmo conflitos bilaterais que podem levar a ações militares.

As preocupações chinesas aumentaram ainda mais após a conversa telefônica entre o presidente eleito Trump e a presidente de Taiwan Tsai Ing-wen que teve lugar em 2 de dezembro, rompendo a política de "uma só China" introduzida nas relações bilaterais entre a China e os EUA em 1979.

"O que é importante é que, não obstante as declarações controversas feitas por Trump e por sua equipe de transição, a China ainda espera que no final a razão prevaleça e as relações sino-americanas avancem de modo construtivo", disse Korneev.

O presidente Donald Trump durante encontro com eleitores no Estado da Pensilvânia - Sputnik Brasil
Quais são as prioridades de Trump na área da defesa? Rússia fica fora da lista
Em uma entrevista ao jornal chinês Diário do Povo, Wang Yi destacou especialmente esperar que o lado americano continue respeitando os "interesses fundamentais" da China, o que, segundo o político chinês, é a chave para uma cooperação bilateral estável que ninguém pode simplesmente parar.

"Muitos especialistas veem isso [a declaração de Yi] como um sinal claro à nova administração americana que quaisquer tentativas de reconsiderar a política duradoura dos EUA relativamente à China poderão levar à desestabilização completa das relações entre os dois países", sublinhou o especialista russo.

O bilionário republicano Donald Trump se tornará 45º presidente norte-americano em 20 de janeiro de 2017 na cidade de Washington.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала