Trump defende expansão das capacidades nucleares dos Estados Unidos

© AFP 2022 / KIMIMASA MAYAMA / POOLO presidente dos EUA, Barack Obama, em visita histórica a Hiroshima, em 27 de maio de 2016, presta homenagem às vítimas da bomba atômica que destruiu a cidade há mais de 70 anos
O presidente dos EUA, Barack Obama, em visita histórica a Hiroshima, em 27 de maio de 2016, presta homenagem às vítimas da bomba atômica que destruiu a cidade há mais de 70 anos - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, causou polêmica, nesta quinta-feira, ao defender o aumento das capacidades nucleares do seu país, em meio a discursos de desnuclearização em todo o mundo e meses após a histórica visita de Barack Obama à cidade de Hiroshima, destruída por uma bomba atômica americana há 70 anos.

Rompendo com a doutrina da atual gestão, cuja agenda antinuclear foi fundamental para a entrega do Nobel da Paz a Obama há sete anos, Trump escreveu em seu Twitter que os EUA precisam "fortalecer e expandir sua capacidade nuclear até o momento em que o mundo chegue a seus juízos sobre as armas nucleares".

Apesar de suas declarações em defesa de um mundo livre de armas nucleares, dados oficiais disponíveis (ano fiscal de 2015) indicam que Barack Obama foi o presidente americano que menos reduziu o arsenal nuclear dos EUA desde o fim da Guerra Fria até agora. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала