Stoltenberg explica o comedimento da OTAN diante do conflito sírio

© AFP 2022 / WAKIL KOHSARSecretário-Geral da OTAN Jens Stoltenberg durante uma entrevista coletiva conjunta com o presidente afegão Asharaf Ghani, Cabul, Afeganistão, 15 de março de 2016
Secretário-Geral da OTAN Jens Stoltenberg durante uma entrevista coletiva conjunta com o presidente afegão Asharaf Ghani, Cabul, Afeganistão, 15 de março de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, declarou hoje (17) que o uso de maiores recursos militares pela aliança na Síria poderia piorar ainda mais a situação naquele país e conduzir a uma escalada ainda maior do conflito.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon discursa durante uma conferência sobre mudanças climáticas COP21 em Paris - Sputnik Brasil
Ban Ki-Moon reconhece que ONU falhou na Síria
“Vivemos uma terrível catástrofe humanitária na Síria. No entanto, o preço a ser pago pelo uso de recursos militares pode ser, às vezes, maior do que seus benefícios. Com relação à Síria, os membros da OTAN tomaram a decisão de que o uso de forças armadas tornaria a já terrível situação ainda mais aterrorizante”, revelou Stoltenberg em entrevista à publicação alemã Bild am Sonntag.

Nas palavras do secretário-geral, a intervenção militar poderia culminar na Síria numa escalada ainda maior do conflito.

“Surge o risco de que a coisa se transforme num conflito regional ainda maior, ou que haja um número ainda maior de mortes entre os inocentes. Se nós reagíssemos com o uso de recursos militares a cada problema, a cada catástrofe humanitária, viveríamos num mundo ainda mais cheio de guerras e sofrimento”, concluiu Stoltenberg.

A Síria vive uma terrível guerra civil desde março de 2011. De acordo com dados recentes da ONU conflito já provocou a morte de mais de 400 mil pessoas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала