Pentágono elabora uma série de propostas inéditas a Trump para reforçar combate ao Daesh

© AP Photo / Rwa FaisalIraque, militares iraquianos observam ataque aéreo da coalizão liderada pelos EUA às posições do Daesh em Fallujah
Iraque, militares iraquianos observam ataque aéreo da coalizão liderada pelos EUA às posições do Daesh em Fallujah - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Pentágono está preparando uma série de propostas que permitirão aos EUA conduzirem uma campanha de combate aos militantes do grupo terrorista Daesh de modo mais ativo, comunicou o Wall Street Journal ao citar militares e congressistas norte-americanos cujo nome não foi indicado.

Segundo o jornal, o Departamento de Defesa está elaborando propostas em resposta às exigências da equipe Trump de reforçar operação militar norte-americana contra o Daesh.

General aposentado da Infantaria da Marinha a candidato ao posto de Secretário de Defesa norte-americano, James Mattis - Sputnik Brasil
Trump nomeia oficialmente general 'cão furioso' para cargo de Secretário da Defesa
Entre as iniciativas-chave estão a delegação da maioria dos poderes no domínio de planejamento tático da Casa Branca ao Pentágono e a redução de controle por parte da administração do presidente no processo da tomada de decisões no que diz respeito ao desenvolvimento da operação.

É provável que a chefia do Pentágono proponha a Trump que lhe conceda liberdade em determinar o número de militares a destinar a determinada operação e que se abandone a prática de efetuar cada operação ou ataque aéreo só após uma consulta detalhada com o presidente, diz o Wall Street Journal.

Frisa-se que as eventuais mudanças, em geral, não influirão na postura norte-americana quanto à operação contra o Daesh. Washington preservará um contingente limitado no Oriente Médio, contando com as forças dos aliados locais.

Os EUA, em coalizão com uma série se outros países, têm vindo a efetuar ataques aéreos contra o Daesh desde o verão de 2014 na Síria e no Iraque, sendo que na Síria suas ações não são acordadas com as autoridades locais. Os Estados Unidos não estão cooperando com a Rússia que também efetua ataques contra terroristas, mas assinaram um protocolo para evitar conflitos com Moscou.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала