Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Depois de protestos pró-democracia, chefe de Hong Kong diz que não vai tentar reeleição

© AFP 2021 / PHILIPPE LOPEZ Hong Kong Chief Executive Leung Chun-ying addresses a press conference in Hong Kong on June 18, 2015
Hong Kong Chief Executive Leung Chun-ying addresses a press conference in Hong Kong on June 18, 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga no
Desde 2014, Leung vem fracassando em conter os anseios da população da cidade, que goza de relativa autonomia em relação ao governo central em Pequim, por mais democracia na ex-província britânica.

Manifestantes protestam contra a interferência de Pequim na política local de Hong Kong, 6 de novembro de 2016 - Sputnik Brasil
Como países estrangeiros tentam desestabilizar situação em Hong Kong?
Enfrentando vários protestos no que se convencionou chamar de "Revolução das Sombrinhas", o chefe executivo de Hong Kong anunciou que não vai buscar a reeleição ao cargo. Leung Chun-ying anunciou à imprensa que tomou a decisão por motivos pessoais.

"Preciso fazer uma escolha responsável entre minha família e a sociedade", disse em entrevista coletiva. "Se eu concorrer, minha família sofrerá estresse intolerável devido à minha campanha eleitoral… Eu devo protegê-los".

Leung disse que se concentrará em seu trabalho como o chefe do Executivo nos próximos seis meses, incluindo a apresentação de seu último discurso político. Ele enfatizou ainda que vai apoiar quem quer que o Partido Comunista Chinês indique para governar a ilha. "Eu devo apoiar qualquer pessoa que ganhar a eleição e qualquer pessoa que for capaz de ser indicada pelo governo popular central", acrescentou.

Crise popular

Durante o mandato de Leung, Hong Kong representou um dos casos de maior insubordinação à autoridade chinesa na história do país. Em 2014, jovens ocuparam estradas e ruas por quase três meses, protestando por eleições diretas ao executivo-chefe da província semi-autônoma. Como chovia muito no período e os manifestantes precisavam se cobrir, o movimento pró-democracia ficou conhecido como "Revolução das Sombrinhas".

O fracasso dos protestos levou à divisão da cidade em acampamentos pró e contra o establishment e inspirou um movimento independentista em relação à China continental.

Por meio de comunicado, um porta-voz do governo expressou respeito à decisão de Leung.

"Expressamos a nosso profundo lamento pela decisão de Leung de não buscar outro mandato devido a razões de família e respeitamos sua decisão", disse o porta-voz do Departamento dos Assuntos de Hong Kong e Macau do Conselho de Estado.

O porta-voz elogiou os seus "êxitos na promoção do desenvolvimento econômico, melhora da vida da população e aumento da comunicação e cooperação entre a parte continental e Hong Kong".

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала