Países da Europa e América estão prontos para implementar sanções contra aliados de Assad

© Sputnik / Ilya Pitalev / Abrir o banco de imagensUma mesquita em Aleppo, foto de arquivo
Uma mesquita em Aleppo, foto de arquivo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os líderes da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália e Reino Unido aprovaram uma declaração conjunta sobre a situação na cidade síria de Aleppo, informando sobre a possibilidade de executar sanções contra os aliados do presidente da República Árabe Síria, Bashar Assad.

A Casa Branca compartilhou um comunicado a este respeito, que diz o seguinte:

"Nós estamos prontos para considerar algumas medidas restritivas adicionais contra pessoas físicas e jurídicas que agem a favor dos interesses ou em nome do regime sírio."

Os autores do documento apelam também a todas as partes do conflito na Síria para que sejam cumpridas as "normas do direito humanitário internacional, incluindo os convênios de Genebra".

"O secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, falou sobre crimes de guerra perpetrados na Síria. Não deve haver impunidade para os culpados. Nós apelamos a ONU para investigar os relatórios correspondentes e juntar as provas para que assim os culpados sejam responsabilizados pelos crimes de guerra", prossegue a declaração conjunta.

Além disso, os assinantes pediram as autoridades da Rússia e do Irã para influenciar a postura do governo sírio no que toca a Aleppo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала