Chefia militar sul-coreana teme provocações do vizinho devido a interna crise política

© REUTERS / Kim Hong-JiSoldado norte-coreano próximo à fronteira com a Coreia do Sul.
Soldado norte-coreano próximo à fronteira com a Coreia do Sul. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os militares sul-coreanos receiam que a Coreia do Norte possa levar a cabo uma “provocação” devido à crise política em Seul, e ameaçam com uma eventual represália, disse na segunda-feira (5) a agência de notícias Yonhap.

A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, participa na coletiva com o presidente dos EUA, Barack Obama, na Casa Azul em Seul. 25 de abril, 2014. - Sputnik Brasil
Partidos da oposição da Coreia do Sul vão para votar impeachment presidencial no dia 9
Segundo a Yonhap, o representante do Comitê do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas da Coreia do Sul, Jeon Ha-kyu, afirmou durante uma coletiva de imprensa que os militares "estão de olho quanto às ações militares da Coreia do Norte já que ela pode usar os problemas atuais da República da Coreia e o período de transição nos EUA (mudança de presidente) como pretexto para uma provocação".

"Se as autoridades da Coreia do Norte se atreverem de provocar, isto será igual à autodestruição para elas, já que enfrentarão uma resistência forte e resoluta", manifestou Jeon Ha-kyu, citado pela Yonhap.

Segundo explicou o representante militar, as "provocações" por parte da Coreia do Norte devem ser temidas devido à recente aprovação de um novo pacote de sanções internacionais contra Pyongyang e à perspectiva do impeachment contra a atual presidente sul-coreana, Park Geun-hye no final desta semana.

A maior preocupação foi provocada pelo fato da Coreia do Norte ter efetuado manobras no mar Amarelo que simularam ataques às posições junto da fronteira sul-coreana e foram comandadas pelo próprio Kim Jong-un.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала