Assessor do premiê grego: 'Grécia nunca concordará em jogar guerra fria contra a Rússia'

© Sputnik / Alexei Druzhinin / Abrir o banco de imagensO presidente russo, Vladimir Putin, e o premiê grego, Alexis Tsipras, durante a visita do líder russo à Grécia, em 27 de maio de 2016
O presidente russo, Vladimir Putin, e o premiê grego, Alexis Tsipras, durante a visita do líder russo à Grécia, em 27 de maio de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Assessor especial do premiê grego, Dimitris Velanis, afirma em entrevista à RIA Novosti que não existem quaisquer restrições para a Grécia no que se trata da cooperação com a Rússia e Bruxelas "sabe disto".

Um policial mantém vigilância em frente à prefeitura após dois assaltantes tomarem cinco reféns na igreja de Saint-Etienne-du -Rouvray, na Normandia, França, 26 de julho de 2016. - Sputnik Brasil
'Segurança da Europa é impossível sem Moscou'
A Rússia está conduzindo uma política de amizade em relação à Grécia, já a nação grega responde da mesma forma, não estando interessada em travar uma guerra fria contra a Rússia, quem quer que a exija, afirmou o assessor especial do primeiro-ministro grego dos assuntos relacionados à Rússia, Dimitris Velanis, em entrevista à agência russa, RIA Novosti.

A questão das relações grego-russas foi discutida durante a visita do presidente norte-americano, Barack Obama, a Atenas.

"É completamente errado pensar que se pode proibir a Grécia [de algo], é um total absurdo. Nem houve, nem haverá qualquer pressão, sem falar das proibições. A atitude, expressada por qualquer [país] sobre a Rússia, é um assunto de cada um", afirmou Velanis.

No que se trata da Grécia, o seu governo, segundo diz o assessor, é baseado somente em acordos assinados entre os dois países e suas relações amistosas.

"Se nos perguntarmos qual seria o papel da Rússia hoje em dia, sejamos honestos, a Rússia não prejudicou nenhum país ou povo ao conduzir seu rumo político. Ao contrario, nós consideramos que a presença [militar] russa na Síria impediu o alastramento de uma peste, isto é, do terror em uma região extensa. A prática mostrou que a ausência da Rússia nestes eventos contribui para a difusão do caos e terror, como aconteceu na Líbia, no Iraque e nos outros países da região", manifestou Velanis.

Ele chamou a política antirrussa de "absolutamente insensata", que normalmente leva a uma derrota dolorosa daqueles que o realizam.

Bairros leste da cidade de Aleppo, Síria, 2016 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Kerry espera chegar a um acordo com Rússia sobre Síria até posse de Trump
Segundo disse o político, as declarações e os lemas sobre imposição forçada da democracia, mudança de regimes por terceiros e assim por adiante, não beneficiou ninguém, nenhum povo. Velanis assegura que muitos grupos estão agora empreendendo várias tentativas de provocar a Rússia e fazer com que ela efetue ações militares agressivas, como por exemplo, na fronteira russo-ucraniana, ou na Crimeia.

"Sabemos que a Rússia está bombardeando os terroristas e não os civis sírios, como afirmam algumas capitais ocidentais. As declarações de que a Rússia está atacando os objetos civis são falsas em 100%. A mídia ocidental não mostra aquilo que se passa na realidade, e, pelo visto, há uma maquina de propaganda trabalhando contra a Rússia. Mas o povo grego entende tudo", observou o assessor do premiê.

"Quanto a nós próprios, vamos cooperar com a Rússia. Não aceitamos que alguém proíba à Grécia de ter relações com a Rússia. Acreditamos em rumo pacifico da política externa russa, estamos gratos pela política de amizade e parceria do (presidente da Rússia), Putin, em relação à Grécia", frisou.

"A Grécia nunca concordará em jogar guerra fria contra a Rússia", assegurou Velanis.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала