- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

'Testa de ferro' de Cabral tem prisão prorrogada

© Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilSérgio Cabral Filho
Sérgio Cabral Filho - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Justiça Federal decidiu prorrogar por mais cinco dias, a prisão temporária do empresário Paulo Fernando Magalhães Pinto, que segundo o Ministério Público seria amigo e 'testa de ferro' do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho.

Sérgio Cabral - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Procuradores acusam Cabral de receber 'mesadas' de construtoras
Os procuradores suspeitam que o empresário seja um "laranja" dentro da organização criminosa de Cabral, onde alguns bens que aparecem em nome do empresário podem ser na verdade do ex-governador.

De acordo com o Ministério Público, Paulo Fernando cometeu contradições durante seus depoimentos, como, por exemplo, declarou que nunca fez negócios com Sérgio Cabral Filho, porém exerceu o cargo comissionado de assessor especial do ex-governador entre 2007 e 2014. O empresário ainda disse em depoimento, que a lancha Manhattan, que foi apreendida na operação da Polícia Federal, pertence a empresa MPG participações, que é administrada pelo pai dele, mas nas investigações, o Ministério Público descobriu que a embarcação avaliada em R$ 5 milhões fica na Marina do luxuoso Hotel Portobello, em Mangaratiba, onde Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral tem uma casa de veraneio. 

Outra contradição indicada pelo MP, é o escritório alugado por Paulo Fernandes, no Leblon, pelo valor mensal de R$ 42 mil, mas foi utilizado de fato por Sérgio Cabral ou por sua empresa Objetiva Gestão e Comunicação Eireli até junho de 2016; e ainda o fato da mesma empresa MPG ser proprietária do helicóptero que também seria de Sérgio Cabral.

Assim como o ex-governador do Rio, Paulo Fernando Magalhães Pinto foi preso durante a Operação Calicute da Polícia Federal. O empresário e Cabral estão dividindo a mesma cela com outras quatro pessoas.

O ex-governador do Rio é acusado de chefiar uma organização criminosa que recebia dinheiro de construtoras para fraudar licitações para a execução de grandes obras públicas no estado com recursos federais. Cabral também é acusado de lavagem de dinheiro.

 


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала