Podemos exige nacionalização de elétricas espanholas que desrespeitam direitos humanos

© REUTERS / Andrea ComasA supporter of Podemos (We can) gestures at the party's meeting area after the regional and municipal elections in Madrid, Spain, May 24, 2015.
A supporter of Podemos (We can) gestures at the party's meeting area after the regional and municipal elections in Madrid, Spain, May 24, 2015. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A coligação política espanhola de esquerda, Unidos Podemos, saiu às ruas neste sábado para exigir que o governo adote medidas contra companhias elétricas que cortam o fornecimento de electricidade e de gás de famílias que não podem pagar.

O fogo - Sputnik Brasil
Podemos: 'Não se pode apagar o fogo com fogo'
"Exigimos medidas contundentes para que as empresas de energia não cortem o fornecimento de famílias que não podem pagar. (Energia) é um bem de primeira necessidade, então deve ser considerada a nacionalização”, insistiram os líderes do movimento, Pablo Iglesias e Alberto Garzón.

Foram registradas mais de quarenta manifestações nas principais cidades espanholas que protestavam contra a morte de uma idosa em um incêndio provocado por uma vela esta semana. A vítima teve o seu fornecimento de eletricidade e de gás cortados pela companhia Gas Natural Fenosa.

O secretário-geral do partido Podemos, Iglesias, convocou uma "intervenção patriótica" do  Executivo sobre as elétricas e seu colega Garzon pediu a "nacionalização" da Gas Natural Fenosa.

Mariano Rajoy, presidente do governo da Espanha - Sputnik Brasil
Mariano Rajoy é eleito para governar a Espanha
"As empresas têm de cumprir a legislação em matéria de Direitos Humanos. É inaceitável que as pessoas na Espanha não tenham eletricidade ou gás para aquecer as suas casas, quando há energia suficiente para isso", discursou Iglesias diante de centenas de pessoas.

Além disso, o líder do partido Esquerda Unida, Alberto Garzón, insistiu ser "vergonhoso" o fato de pessoas morrerem "apenas porque são pobres e não podem pagar a conta" e pediu responsabilização de grandes empresas.

"Os cortes e as políticas de grandes empresas podem implicar na morte de cidadãos de nosso país", alertou.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала