'Agora ninguém sabe o que vai acontecer nos EUA'

© AFP 2022 / RINGO CHIUManifestantes durante protestos contra presidente eleito Donald Trump, Los Angeles, Califórnia, EUA, 10 de novembro de 2016
Manifestantes durante protestos contra presidente eleito Donald Trump, Los Angeles, Califórnia, EUA, 10 de novembro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Muitos políticos europeus e a mídia estão chocados com a vitória de Donald Trump. Entretanto, o ex-secretário do parlamento no Ministério da Defesa da Alemanha e vice-presidente da Assembleia Parlamentar da OSCE, Willy Wimmer, pelo contrário, sentiu um alívio.

Donald Trump, novo presidente dos EUA, 9 de novembro de 2016 - Sputnik Brasil
Eleição de Donald Trump preocupa Painel de Mudanças Climáticas da ONU
Em caso de vitória de Hillary Clinton, segundo ele, poderia ser considerado início da Terceira Guerra Mundial.

Em entrevista à Sputnik Alemanha, Wimmer disse que, ao contrário de Hillary Clinton, Donald Trump está disposto a cooperar de forma prática e razoável com outros países.

"<…> Hoje de manhã, senti que o resultado das eleições nos salvou de uma grande guerra. Parto da ideia de que o [futuro] novo presidente norte-americano, ao contrário da sua adversária, está pronto para cooperação razoável, prática e de confiança com outros países e isso traz esperança", disse.

Wimmer afirmou que, através de declarações ofensivas em relação ao candidato Republicano, as autoridades alemãs se esqueceram dos verdadeiros interesses nacionais do povo alemão.

Segundo ele, a mídia alemã escolhe um lado, não se limitando na hora de fazer comentários sobre o lado que não apoia.

"Se não tivermos pluralismo, se não respeitarmos pessoas que possuem poder supremo, nada de bom receberemos com isso. Desenvolveu-se uma conjuntura quando alguns pensam que podem dominar sobre os outros concidadãos e hoje ficou claro que este é o caminhado errado a ser tomado", disse Wimmer.

Hillary Clinton faz primeiro discurso após derrota nas eleições dos EUA - Sputnik Brasil
Hillary Clinton faz discurso da derrota: 'É doloroso'
O político alemão acredita que agora ninguém sabe o que vai acontecer nos EUA.

"Prefiro que realizem os seus confrontos no seu território e não desencadeiem uma guerra em todo o mundo. Se calhar, é o que acontecerá nos EUA. Na corrida presidencial faltaram apenas tanques…", disse.

Tais ações descreditam países democráticos que não permitem a si próprios fazê-lo, afirmou. De acordo com ele, todo o mundo deve enviar sinal aos EUA de que as crianças alemãs não participarão mais de guerras norte-americanas.

Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA - Sputnik Brasil
Opinião: que mudanças esperam OTAN e Pentágono durante presidência de Trump?
Quanto à futura política externa de Trump, Winner espera que agora na política norte-americana apareçam pessoas que não apoiam a política de guerra.

"Esperamos que se esforcem para normalizar as relações com a Rússia", disse.

O político alemão sublinhou que, ao contrário da linha política europeia, a norte-americana é incerta, pois os ministérios lutam por financiamento.

"Nas relações com os EUA, é preciso estar sempre alerta para não se envolver em guerra alguma", disse.

Se Trump compreender que agora a OTAN representa uma ameaça a Aliança, o futuro estaria livre de muitas preocupações, conclui.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала