Irã: Reconhecimento de Crimeia é um assunto complicado

© Sputnik / Aleksei Druzhinin / Abrir o banco de imagensConstrução da ponte que liga a Crimeia à parte continental da Rússia, Crimeia, setembro de 2016
Construção da ponte que liga a Crimeia à parte continental da Rússia, Crimeia, setembro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Irã não pode apoiar a Rússia na questão de Crimeia porque o país não intervém nos assuntos internos de outros países, afirmou o especialista do centro de pesquisa do Conselho de Discernimento de decisões junto do líder supremo do Irã, Mahmoud Shuri, comentando a iniciativa do deputado da Duma de Estado russa, Evgeny Fyodorov.

"O Irã compreende as esperanças que a Rússia associa ao reconhecimento da Crimeia como parte inalienável por parte dos países amigos. É muito difícil para o Irã apoiar a Rússia nesta questão. Nas condições políticas atuais, a República Islâmica do Irã não apoia qualquer mudança de fronteiras porque a nossa posição é esta: isso é um assunto interno, a questão de autodeterminação nacional é da competência exclusiva dos povos que habitam nesses territórios. Eles determinam seu destino de forma independente", disse à Sputnik Persa.

Presidente ucraniano Pyotr Poroshenko examina a construção de fortificações na região de Donetsk - Sputnik Brasil
Presidente da Ucrânia está convencido que Kiev retomará Crimeia e Donbass
Segundo o especialista, agora o Irã não tem interesse em anunciar sua posição oficial sobre este assunto, "ela já foi anunciada e é clara para todos".

"O Irã não intervém nos assuntos internos dos outros países, ao contrário de uma série de forças externas (ocidentais) que desencadearam a crise ucraniana, e a que a Rússia teve de reagir. Tal reação foi a adesão da Crimeia à Rússia."

Ainda antes, o presidente do comitê de política econômica da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo) Yevgeny Fyodorov enviou um pedido ao parlamento iraniano para reconhecer a Crimeia como parte inalienável da Rússia.

Presidente russo Vladimir Putin participa da sessão plenária do Fórum da Ação. Crimeia, Yalta, Rússia, 26 de outubro de 2016 - Sputnik Brasil
Kremlin responde à nota de protesto ucraniano sobre visita de Putin à Crimeia
Na semana passada, a Síria reconheceu a Crimeia como parte inalienável da Rússia. Além disso, a presidente do parlamento sírio, Hadia Abbas, destacou que as relações entre Moscou e Damasco são estratégicas. Fyodorov considera que Teerã poderá dar os mesmos passos.

A reunificação da Crimeia com a Rússia foi reconhecida por seis países – Cuba, Venezuela, Nicarágua, Afeganistão e Coreia do Norte.

Mais alguns países estão em dúvida – o Cazaquistão reconheceu os resultados do referendo na península como expressão da vontade livre dos cidadãos, o líder bielorrusso Aleksandr Lukashenko disse que "de fato a Crimeia se tornou parte da Rússia e nós estamos com a Rússia".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала