'Convém abrir uma saída segura para que terroristas se salvem saindo de Mossul para Síria'

© AP PhotoUm grupo de forças curdas observa desde um esconderijo a paisagem da aldeia de Khazer, a 30 km de Mossul, "capital" iraquiana do grupo terrorista Daesh
Um grupo de forças curdas observa desde um esconderijo a paisagem da aldeia de Khazer, a 30 km de Mossul, capital iraquiana do grupo terrorista Daesh - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os EUA estão interessados na libertação de Mossul com baixas perdas. Sendo assim, é necessário a criação de um corredor que permita a saída dos terroristas do Daesh (proibido na Rússia) para a Síria, informou a revista The Economist.

Casa Branca, Resdência oficial do Presidente dos EUA - Sputnik Brasil
Casa Branca: operação em Mossul não é uma catástrofe
Ainda não estão claras quais decisões serão tomadas pelos militantes durante a batalha por Mossul, destacou o autor da matéria. Lutarão até a morte como em Ramadi ou fugirão como fizeram em Fallujah?

"O mais inteligente que pode ser feito pelos libertadores de Mossul é abrir uma saída segura para os militantes do Daesh que seguirão rumo ao leste da Síria para que, assim, seja evitada uma luta prolongada até morte. Já que a meta é tomar o controle sobre Mossul de forma rápida e sem derrame de sangue, justifica-se a permissão ao Daesh de se salvar indo para Síria", afirmou o jornalista do The Economist.

Militantes do Daesh em um veículo das forças de segurança do Iraque (Mossul, junho de 2014) - Sputnik Brasil
Daesh está minando as pontes do Tigre e reagrupando as tropas em Mossul
Avisou também que não convém permitir que tais forasteiros como curdos, milícia xiita ou tropas turcas "recebam um pedaço do bolo de Mossul". Segundo o autor, é preciso mantê-los distantes da cidade.

A operação de libertação de Mossul dos militantes do Daesh (organização terrorista na Rússia e em muitos outros países) iniciou-se em 7 de outubro. A cidade é controlada pelo grupo terrorista Daesh desde 2014. A operação conta com a participação de militares iraquianos, milícia local, unidades curdas peshmerga, bem como a aviação da coalizão internacional liderada pelos EUA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала