Negociações comerciais entre Canadá e União Europeia fracassam em Bruxelas

© Sputnik / Igor Zarembo / Abrir o banco de imagensProtesto contra o Acordo Econômico e Comercial Global (CETA) em Berlim
Protesto contra o Acordo Econômico e Comercial Global  (CETA) em Berlim - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os esforços de última hora para salvar o acordo de comércio do Canadá com a União Europeia parecem ter desmoronado nesta sexta-feira (21): a ministra canadense do Comércio Internacional Chrystia Freeland abandonou as negociações dizendo que eles alcançaram "um fim e um fracasso".

"Nos últimos meses, trabalhamos muito com a Comissão e os Estados-Membros [da UE]. Mas parece claro que a UE não é capaz atualmente de ter um acordo internacional, mesmo com um país que tenha valores tão europeus como o Canadá, mesmo com um país tão bom, tão paciente. O Canadá está desapontado, eu estou pessoalmente muito decepcionada, eu trabalhei muito duro. Decidimos ir para casa. Estou muito, muito triste realmente. Amanhã de manhã, vou estar em casa com meus três filhos", explicou a ministra, em lágrimas.

As conversações têm sido realizadas entre a ministra canadense do comércio, negociadores da UE e do Canadá e o chefe da região belga da Valônia. Freeland não conseguiu convencer o ministro-presidente da Valônia, Paul Magnette, a aprovar a assinatura do Acordo Econômico e Comercial Global (CETA) na próxima semana, segundo relatou a rádio Premiere nesta sexta.

Bandeira de Israel - Sputnik Brasil
Israel espera iniciar ainda em 2016 conversas de livre comércio com União Eurasiática
Na quinta-feira (20), o presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker expressou a esperança de convencer todas as partes a apoiar o acordo. O Conselho Europeu falhara em aprovar o CETA devido ao veto da Valônia na terça-feira. Assim, a Comissão Europeia definira um prazo para a região belga aprovar o acordo até a próxima sexta-feira, quando os líderes europeus se reunirão em Bruxelas para a cúpula do Conselho Europeu. 

O CETA visa estabelecer uma zona de livre comércio entre o Canadá e a União Europeia, extinguindo mais de 98 por cento das tarifas existentes entre Ottawa e Bruxelas. Os opositores temem que a proposta minaria as normas e regulamentos em matéria de proteção do meio ambiente, saúde, segurança e direitos dos trabalhadores.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала