Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Síria reconhece Crimeia como parte da Rússia

© Sputnik / Vasily Batanov / Abrir o banco de imagensCrimeia comemora a reunificação com a Rússia
Crimeia comemora a reunificação com a Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga no
A presidente do Conselho Popular da Síria, autoridade legislativa do país, Hadiya Khalaf Abbas, disse à Sputnik que ela considera a Crimeia uma parte integrante da Rússia, que voltou a fazer parte da nação russa após referendo, realizado em 16 de março de 2014.

"Devido aos acontecimentos que se desenrolaram depois do colapso da União Soviética até à atualidade, esta região voltou às suas raízes depois de expressar a sua livre vontade como povo no referendo da Crimeia… Aceitamos que a Crimeia é uma parte integrante da Rússia", disse Abbas.

O papel da Rússia na crise síria

Uma unidade de peshmerga (aqueles que olham a morte na cara, em tradução literal: formações militares iraquianas compostas por curdos do Iraque) se preparam para um combate contra o Daesh em Khazer, a 30 km ao leste de Mossul, em 17 de outubro de 2016 - Sputnik Brasil
Rússia pode tomar medidas caso Daesh fuja do Iraque para a Síria
Falando do ano que passou desde o início da operação da Força Aeroespacial russa na Síria, Hadia Abbas disse que "a irmandade entre a Rússia e a Síria é fortalecida pelo sangue dos heróis que morreram na luta contra o mal que ameaça toda a humanidade" e ressaltou que as relações de amizade entre os dois países "não poderiam ser outras".

"Nós sempre tivemos fé e soubemos que a Rússia apoiaria a Síria e protegeria tanto os seus interesses como os nossos. Essas relações vêm sendo desenvolvidas há décadas, e continuam sendo ampliadas. A Rússia sempre apoiou o lado dos oprimidos e ameaçados pela agressão", disse a parlamentar.

Segundo Abbas, a Síria confia no chanceler russo Sergey Lavrov "em absolutamente todas as questões" e vê como o presidente russo Vladimir Putin "defende a Síria da mesma forma que defenderia o seu próprio país."

As relações russo-sírias têm um caráter estratégico e de grande potencial, e a nação árabe "coopera com o governo russo em todas as esferas: política, econômica, social e contatos consulares", disse a presidente do parlamento sírio à Sputnik.

As tentativas de dividir a Síria

Soldados das Unidades de Proteção Popular curdas (YPG) no Curdistão Sírio - Sputnik Brasil
Segundo Assad, curdos na Síria não desejam autonomia
Quanto à situação interna na Síria, a presidente do Parlamento frisou que o governo tem tensões com a minoria curda. 

Embora os curdos sírios que liberam os territórios dos terroristas muitas vezes criem suas próprias entidades administrativas, "os curdos são uma parte do povo sírio, e na maioria não apoiam a ideia da separação da Síria", disse Abbas.

"A posição essencial da Síria é que não vamos permitir a divisão do país de acordo com a etnia ou a religião. Não vamos ceder nossos territórios", disse ela. 

O governo sírio vai fazer todos os esforços para garantir os direitos de todos os cidadãos, incluindo os curdos, que agora têm uma representação no Parlamento, observou ela.

Outra questão das minorias é o status dos turcomanos sírios. A retórica da Turquia, que muitas vezes declara a proteção dos direitos dos turcomanos como justificação para a sua interferência na Síria, "é uma mentira absoluta" denunciou a parlamentar. 

"Com tais declarações, a Turquia, apoiada pelos EUA e seus aliados na região, visa desacreditar a Síria. O governo sírio sempre tratou os turcomanos da mesma forma que os outros cidadãos", destacou Hadia Abbas, acrescentando que este grupo étnico é representado em todas as estruturas do Estado.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала