Organização dos EUA exige liberação de ucraniano detido em Moscou por espionagem

© Foto / FSB / Abrir o banco de imagensUcraniano Roman Suschenko, detido nesta segunda-feira (3) em Moscou sob acusações de espionagem
Ucraniano Roman Suschenko, detido nesta segunda-feira (3) em Moscou sob acusações de espionagem - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ na sigla em inglês), baseado em Nova York, exigiu a liberação imediata de um ucraniano detido sob suspeita de espionagem em Moscou.

O cidadão ucraniano em questão é Roman Suschenko, detido nesta segunda-feira (3) em Moscou. Ele é um oficial da Direção-Geral de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia que estava recolhendo informações militares confidenciais sobre as Forças Armadas da Rússia e Guarda Nacional da Rússia.

"As autoridades russas devem liberar imediatamente o jornalista ucraniano Roman Suschenko", diz o comunicado da organização.

Sede do Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) em Moscou - Sputnik Brasil
Rússia captura espião ucraniano que recolhia dados militares secretos
Nesta quarta-feira (5), os deputados da Suprema Rada (parlamento) ucraniana apelaram aos parlamentos dos países da UE, EUA, Canadá, Japão e OSCE para cooperarem na liberação de Suschenko.

A informação sobre sua detenção foi divulgada pelo Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) que especificou que contra o ucraniano foi aberto um processo judicial por prática de espionagem. Ele se apresentava com jornalista da agência Ukrinform, mas de fato não tinha missão jornalística ou credenciamento jornalístico para trabalhar em Moscou. Os dados que ele estava tentando recolher antes da detenção estavam diretamente ligados à capacidade de defesa da Rússia.

Ele continuará na prisão do bairro de Moscou de Lefortovo até finais de novembro, quando será realizada a sessão do tribunal que vai proceder a seu julgamento.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала