Rússia suspende acordo com EUA sobre reciclagem de plutônio

CC BY-SA 2.0 / 7263255 / IMG 9592Símbolo de risco de radiação (foto de arquivo)
Símbolo de risco de radiação (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente russo Vladimir Putin assinou uma ordem que suspende o acordo com os EUA sobre a reciclagem do plutônio utilizado em armas nucleares por causa de ações hostis de Washington. O documento correspondente foi publicado na segunda-feira (3) no portal de informações jurídicas.

Submarino Yasen K-560 submarine, o Severodvinsk, em Severodvinsk, Arkhangelsk - Sputnik Brasil
Rússia e EUA alcançam paridade em submarinos
O documento diz que a Rússia "suspende o acordo entre o governo da Federação da Rússia e o governo dos EUA sobre a reciclagem de plutônio, designado como plutônio já não necessário para fins militares, sua manipulação e cooperação nesta área".

Segundo a ordem, tal decisão foi provocada pela "surgimento de ameaça de instabilidade estratégica em resultado de ações norte-americanos hostis em relação à Rússia, bem como a incapacidade dos EUA de assegurar o cumprimento de responsabilidades assumidas para a reciclagem dos excedentes de plutônio militar".

A ordem destaca que a Federação da Rússia não utilizará este plutônio na produção de armas nucleares ou quaisquer outros dispositivos explosivos nucleares, em pesquisas, desenvolvimento, projetos ou testes ligados a tais dispositivos ou para quaisquer outros fins militares.

Secretário de Defesa norte-americano Ashton Carter durante a entrevista coletiva, Washington, EUA, agosto de 2015 - Sputnik Brasil
Chefe do Pentágono: Rússia e Coreia do Norte representam ameaça nuclear para os EUA
Em abril deste ano, Putin disse durante o fórum da Frente Popular de Toda a Rússia que os EUA, ao contrário da Rússia, não cumprem suas responsabilidades de reciclar o plutônio militar, mantendo o seu potencial de retorno (materiais ou armas nucleares que podem ser usados para completar o arsenal possível de portadores de armas nucleares).

"Nós assinámos o acordo correspondente e acordámos que esse material seria eliminado de uma determinada forma, ou seja – industrial. Para isso era necessário construir empresas especiais. Nós cumprimos as nossas responsabilidades, nós construímos essa empresa. Os nossos parceiros americanos – não", disse o presidente russo.

"Além disso, eles anunciaram muito recentemente que pretendem destruir o combustível nuclear utilizado, altamente enriquecido, não pelo método que acordámos (…), mas com outro [método], diluindo-o e reciclando-o algures em determinados recipientes. Isso significa que eles mantêm o chamado potencial de retorno, ou seja, ele pode ser extraído, tratado e transformado de novo em plutônio militar", sublinhou Putin.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала