Kerry: russos nos enganaram na Síria

© AP Photo / Andrew HarnikChanceler John Kerry fala com presidente dos EUA Barack Obama
Chanceler John Kerry fala com presidente dos EUA Barack Obama - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
John Kerry admite a possibilidade de participação de Bashar Assad nas eleições sírias e destaca o papel da Rússia na situação síria.

Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA - Sputnik Brasil
Ministro da defesa dos EUA diz que Kerry, sem sucesso, busca uma solução política na Síria
A administração dos Estados Unidos começou a considerar novas variantes de ações relativamente à situação na Síria após rompimento do regime de cessar-fogo. Esta foi a declaração feita ainda em 22 de setembro pelo secretário de Estado americano John Kerry no âmbito da Assembleia Geral da ONU em Nova York.

O jornal The New York Times publicou na tarde da sexta-feira (30) trechos do áudio do discurso.

Segundo a publicação, o áudio foi gravado durante um encontro do chefe da diplomacia americana com duas dezenas de representantes de organizações humanitárias sírias, além de diplomatas de três ou quatro países.

A partir desta, é claro que Kerry considera que a diplomacia russa tem posições muito fortes na Síria e tem apoio do governo sírio para realização de operações militares na região. É por esta razão que Washington agora é obrigado a coordenar suas ações e considerar mais atentamente o uso da sua força militar.

Secretário de Estado, John Kerry, e o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov - Sputnik Brasil
EUA não excluem sanções contra a Rússia em caso de fracasso diplomático
Além disso, Kerry fez lembrar que inicialmente a Rússia foi convidada oficialmente para prestar ajuda militar ao governo de Bashar Assad, e os EUA nunca recebiam nada semelhante a um convite.

Famoso crítico do presidente sírio, John Kerry admitiu a possibilidade, e partilhou mesmo de seu ponto de vista, que Assad deve participar das eleições presidenciais. Enquanto isso, a posição oficial de Barack Obama continua sendo a exclusão dessa possibilidade — a Casa Branca tem sublinhado todo o tempo a necessidade de demissão do líder sírio.

Ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov na reunião dos líderes dos países-membros da Comunidade dos Estados Independentes, Quirguistão, 16 de setembro de 2016 - Sputnik Brasil
Moscou não exclui que EUA queiram usar terroristas no plano B
O jornal informou que os participantes do encontro saíram deprimidos, convencidos que não podem contar mais com o apoio da Casa Branca.

O representante oficial do Departamento de Estado John Kirby negou comentar a reunião, dizendo que ela era privada. A entidade também negou o pedido apresentado pela Reuters para comentar a informação.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала