Homs retorna à vida (VÍDEO)

© Sputnik / Mikhail VoskresenskiyUm menino em bicicleta em uma rua na cidade síria de Homs
Um menino em bicicleta em uma rua na cidade síria de Homs - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A capital da assim chamada revolução síria, que por muitos anos foi considerada a capital dos terroristas armados, não conseguiu resistir ao avanço do exército sírio.

Crianças no bairro destruído da cidade de Aleppo, Síria, abril de 2016 - Sputnik Brasil
Enfrentando terror: residentes de Aleppo se adaptam à vida normal
Os combatentes na cidade de Homs, a quem foi oferecida a possibilidade de depôr as armas para participar da anistia, se dividiram em dois lados: um depôs as armas e passou pelo procedimento de anistia, e outro recolheu seus armamentos ligeiros e, com permissão do exército, passou para outras frentes juntamente com suas famílias.

A operação de evacuação dos militantes continuará até que o território se torne completamente livre de grupos armados.

A agência Sputnik publica imagens da situação atual e da evacuação dos militantes na região de El-Waar, que estão levando as malas para os ônibus juntamente com suas famílias e estão saindo com seus fuzis automáticos.

A segurança e a ordem durante a retirada está assegurada pelas Forças Armadas da Síria que se encontram em redor dos ônibus.

A cidade síria de Aleppo distruida pelos ataques aéreos, 24 de setembro de 2016 - Sputnik Brasil
Aleppo se torna habitada de novo (VÍDEO)
Até o momento, 130 militantes deixaram a região, o número não inclui os membros de suas famílias. Todos foram enviados para a cidade de El-Dara El-Habira, uma região a nordeste de Homs.

Em outras regiões de Homs livres de militantes a vida está voltando ao curso normal. As escolas abrem as portas para crianças, as lojas estão de novo abertas para os habitantes e as entidades estatais pouco a pouco estão regressando ao regime de trabalho anterior.

Centenas de civis voltaram para a região de Al-Mazraa, localizada perto de El-Waar, após pararem os bombardeios de morteiros e os tiros de franco-atiradores.

Um dos habitantes que retornou a casa é o idoso Abu Akhmed que disse à Sputnik Árabe que todos estão felizes por retornar a casa após muito tempo deslocados.

"Nós estamos muito felizes por os militantes deixarem os nossos bairros. Um ano atrás, meu filho foi atingido durante o trabalho por um franco-atirador em El-Waar", contou.

Os habitantes locais já começaram a fazer limpeza das ruas, a desmontagem de barricadas, restauração das rodovias e outras tarefas. As crianças de novo erguem balizas e jogam futebol, deixando o jogo só para deixarem os carros passar.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала