- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Cristina Kirchner: 'Queriam para mim um fim igual ao de Dilma'

© Sputnik / Evgeny Biatov / Abrir o banco de imagensEx-presidente de Argentina, Cristina Kirchner
Ex-presidente de Argentina, Cristina Kirchner - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, afirmou que a "direita conservadora" de seu país tinha a intenção de tirá-la do Governo de uma maneira semelhante ao "golpe institucional" sofrido por Dilma Rousseff.

"Eu creio que a direita conservadora, restauradora de velhos privilégios, que quer a América Latina como mero exportador de matérias-primas, com milhões de excluídos, também tentou uma fim para mim semelhante ao de Dilma; estou absolutamente convencida de que o projeto era me destituir", afirmou a ex-presidente ao ser condecorada com a ordem de mérito Manuela Sáenz, nesta quinta-feira (29), em Quito, Equador.

​Ela considerou "inegável" o avanço dos "restauradores da ordem neoconservadora" na América do Sul, e alertou sobre uma mudança de "relações de forças" que dificulta a coordenação entre os setores progressistas da região.  

"Talvez o exemplo mais óbvio dessa mudança na relação de forças tenha sido o fato de que não foi possível impedir o golpe institucional sofrido pela nossa companheira Dilma Rousseff na República Federativa do Brasil", disse ela.

A ordem de mérito Manuela Sáenz premia destacadas líderes latino-americanas. 

A cerimônia foi realizada na sede da Assembleia Nacional do Equador. O prêmio foi dado pela presidente da Assembleia, Gabriela Rivadeneira, que observou que a ex-presidente da Argentina "uma das mulheres mais proeminentes da política internacional e da América Latina". 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала