Lavrov: 'Comboios humanitários na Síria estão diretamente ameaçados'

© AP Photo / Pavel GolovkinMinistro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov
Ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Há ameaças diretas e abertas por parte dos grupos que controlam Aleppo oeste em relação aos comboios que vão passar pela rota de Castello na Síria, comunicou o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

Members of jihadist group Al-Nusra Front - Sputnik Brasil
Lavrov: EUA são incapazes de separar terroristas da oposição na Síria
O Ministro das Relações Exteriores apontou que quando surgiu pela primeira vez a questão de uso da rota de Castello para a entrega de ajuda humanitária (no dia 26 de agosto durante o encontro com John Kerry), "no mesmo dia representantes da ONU comunicaram que o comboio humanitário já estava selado e pronto para se deslocar, e que a ONU estava pronta para o levar até Aleppo". 

"O governo sírio confirmou a prontidão em cooperar neste assunto. Mas no mesmo dia os militantes que estão controlando Aleppo oeste, designados 'conselho local', disseram que se este comboio passasse pela rota Castello, eles iriam atacá-lo. Após isso, a ONU tomou uma pausa, tentando negociar com eles durante dois dias, mas não conseguiu convencê-los nem no fim de agosto, nem no início de setembro. Não afirmo nada. Simplesmente estou falando que houve ameaças diretas e abertas aos comboios que vão passar pela rota de Castello", comunicou Lavrov no ar do programa Vesti v Subbotu (Noticias do Sábado).

Presidente dos EUA Barack Obama. - Sputnik Brasil
Casa Branca lamenta 'perda não intencional de vidas' após ataque matar 80 soldados sírios
Além disso, Sergei Lavrov acrescentou que, para investigar o incidente com o comboio humanitário na Síria é necessário apresentar os projéteis com que ele foi atacado. 

"Agora é necessário realizar uma investigação. É provável que o passo mais fácil e necessário seja apresentar os projéteis com que este comboio foi atacado", declarou chefe do MRE da Rússia. 

No início desta semana, um comboio humanitário conjunto da Cruz Vermelha Síria e de organizações humanitárias da ONU foi parcialmente destruído na região síria de Aleppo. Dos 31 caminhões, que levavam ajuda para 78 mil pessoas, pelo menos 18 caminhões foram atingidos. O ataque provocou a morte de um agente da missão humanitária e de pelo menos 20 civis.

O ataque representou um ponto de virada no regime de cessar-fogo que havia sido alcançado entre Rússia e EUA e iniciado em 12 de setembro. As partes do conflito sírio se acusam mutuamente pela autoria do ataque, mas até o momento nenhumas provas foram apresentadas. Após o ocorrido, os EUA declararam que vão rever sua cooperação com a Rússia na Síria.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала