'Zona de exclusão aérea será benéfica para terroristas que têm tudo exceto aviação'

© Sputnik / Ilia Pitalev / Abrir o banco de imagensAvião Su-22 na base da Força Aérea síria na província de Homs, Síria, 21 de fevereiro de 2016
Avião Su-22 na base da Força Aérea síria na província de Homs, Síria, 21 de fevereiro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Comentando esforços do Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, de introduzir a zona de exclusão aérea para a aviação russa e síria na Síria, o presidente iraniano explicou porque esta ideia tem pouco sentido para melhorar a situação no terreno.

Principal via para a entrega de ajuda humanitária em Aleppo, estrada de Castello - Sputnik Brasil
EUA não querem divulgar dados sobre ataque aéreo ao comboio da ONU na Síria
O presidente iraniano Hassan Rouhani declarou que a zona de exclusão aérea na Síria servirá somente aos interesses dos terroristas financiados do estrangeiro.

"A zona de exclusão aérea será benéfica para os terroristas que possuem tudo além de veículos aéreos", citou a agência Al-Masdar News Rouhani que discursou na sessão da 71ª Assembleia Geral da ONU em Nova York na quinta-feira (22).

"Têm bombas de morteiro, tanques, mísseis e veículos blindados de transporte. Possuem canhões e baterias de artilharia, mas nada de aviões militares. A criação de zona de exclusão aérea não é o passo correto. É uma proposta imprudente", acrescentou o presidente iraniano.

A visão foi ecoada por Alastair Crooke, o antigo diplomata britânico e agente do serviço de inteligência britânico MI6.

"Faz pouco sentido. Senão quer alterar o balanço a favor das forças jihadistas no terreno que parcialmente pode ser a razão disso", afirmou em entrevista ao canal RT.

Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, secretário de Estados dos EUA, John Kerry, e enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura - Sputnik Brasil
Mídia divulga termos do acordo entre Rússia e EUA sobre Síria
Crooke explicou que a zona de exclusão aérea é um passo muito parcial porque os EUA não são capazes de controlar jihadistas na Síria.

Afirmou que recentemente foram rearmados e reformados e a zona de exclusão aérea significa somente a luta mais intensificada no terreno.

"É uma guerra geopolítica. Não é uma guerra que toca na Síria ou está realizando dentro de Síria. Isso se tornou um conflito geopolítico entre as partes contrapostas", disse.

Há que lembrar que John Kerry introduziu uma proposta de proibir voos de aviação síria no céu do país durante o seu discurso na sessão da Assembleia Geral da ONU. Também a proposta de zona de exclusão aérea é discutida no âmbito do Grupo Internacional de Apoio à Síria.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала