Mídia divulga termos do acordo entre Rússia e EUA sobre Síria

© AFP 2022 / Dieter NaglMinistro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, secretário de Estados dos EUA, John Kerry, e enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura
Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, secretário de Estados dos EUA, John Kerry, e enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A agência Associated Press divulgou hoje (22) uma parte dos termos que compõem o acordo assinado por Rússia e EUA sobre Síria, e que até então não haviam sido divulgados pelos dois países.

De acordo com a agência, o mapeamento e a separação das regiões controladas pelos grupos terroristas Daesh (Estado Islâmico – proibido na Rússia e diversos outros países), Frente al-Nusra e pela chamada oposição moderada representam a maior prioridade do acordo.

O documento determina ainda que a avião síria não poderá atuar em regiões onde Rússia e EUA estiverem realizando ataques aéreos contra posições dos terroristas, e que as forças do presidente sírio Bashar Assad e os grupos da oposição não poderão ocupar regiões do país que tiverem sido deixadas por ambos os lados.

A cidade de Darayya destruída na Síria - Sputnik Brasil
Moscou lamenta que EUA sejam incapazes de separar oposição e terroristas na Síria
Outros termos citados pela agência são a criação de uma zona desmilitarizada na região da estrada de Castello, próximo à cidade de Aleppo, e o controle pela ONU da retirada da oposição de Aleppo.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia estranhou o fato de apenas um dos cinco documentos assinados por Moscou e Washington ter sido divulgado pela Associated Press.

“É estranho que isso tenha sido feito dessa forma. Que, ao invés de ter sido divulgado, por exemplo, por uma fonte oficial do Departamento de Estado dos EUA ou do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, tenha sido vazado por meio da imprensa. Mas isso faz bem o estilo dos nossos colegas americanos. Repito mais uma vez: isso é apenas um dos cinco documentos” – revelou à Putin a porta-voz oficial da chancelaria russa Maria Zakharova.

Anteriormente, os EUA haviam declarado que não consideram necessário revelar detalhes do acordo sobre Síria, pelo fato destes conterem informações “demasiado sensíveis” para serem levado a público.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала