Moscou: acusações contra Rússia tentam encobrir 'erro' da coalizão liderada pelos EUA

© Sputnik / Yevgeny Biyatov / Abrir o banco de imagensVista do Kremlin e Ministério das Relações Exteriores da Rússia
Vista do Kremlin e Ministério das Relações Exteriores da Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Ministério das Relações Exteriores da Rússia emitiu um comunicado nesta terça-feira (20) dizendo que as acusações apresentadas à Rússia pelo ataque ao comboio de ajuda humanitária na Síria são feitas com intuito de desviar a atenção de um "erro" cometido pela aviação da coalizão internacional liderada pelos EUA.

"Pelo visto, acusações precipitadas e infundadas como estas são direcionadas, entre outras coisas, a desviar a atenção de um estranho "erro" cometido em 17 de setembro por pilotos da coalizão anti-Daesh liderada pelos EUA, quando seus aviões bombardearam posições das forças do governo sírio perto de Deir ez-Zor" – diz a nota do ministério.

Ajuda humanitária danificada por ataque ao comboio da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho em Aleppo, Síria - Sputnik Brasil
Ministério da Defesa da Rússia: nem aviões russos, nem sírios atacaram comboio humanitário
"Avaliamos com indignação e recusa as tentativas de alguns curadores estrangeiros de grupos criminosos e terroristas da Síria de jogar a responsabilidade pelo incidente sobre as aviações da Rússia e da Síria, alegando que estar teriam supostamente "bombardeado" o comboio humanitário. De acordo com testemunhas da organização "Capacetes Brancos", tão querida pelas mídias ocidentais e que atua em território controlado por rebeldes, os ataques foram realizados pelo ar e alguns ativistas afirmam, inclusive, ter escutado barulho de motor de helicóptero" – explica o comunicado da chancelaria russa.

Destroyed buildings of the Syrian Air Force school in Aleppo, Syria - Sputnik Brasil
ONU confirma ataque a comboio de ajuda humanitária na Síria
Na segunda-feira (19), o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários declarou que o comboio humanitário havia cruzado a linha de conflito na área de Aleppo. No final do dia, funcionários da ONU afirmaram que o comboio tinha sido bombardeado e que havia vítimas mortais.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала