The American Conservative: 'erro de inteligência' na Síria sairá caro para os EUA

Nos siga noTelegram
O ataque 'por engano' das forças da coalizão internacional liderada pelos EUA contra as posições do exército sírio pode sair caro para os EUA, escreve o colunista da revista The American Conservative, Daniel Larison.

O Pentágono declarou que o ataque aéreo pode ter sido devido a "erros dos serviços secretos". Supondo que isso é verdade, isto coloca os EUA em uma situação extremamente embaraçosa, diz o jornalista. Além disso, tal erro mostra que bombardeios podem ser perigosos em uma guerra civil multilateral, como acontece agora na Síria.

Cidade síria de Deir ez-Zor (arquivo) - Sputnik Brasil
Por que 'é pouco provável' que bombardeio dos EUA contra tropas sírias tenha sido acidente
A situação é agravada por o golpe ter sido realizado contra as tropas que combatem o Daesh (proibido na Rússia). Na verdade, o "erro" dos Estados Unidos beneficiou os terroristas, argumento que Moscou ou Damasco podem usar contra Washington. Além disso, o incidente ocorreu em um momento muito inconveniente – logo após a conclusão do acordo de cessar-fogo na Síria, acrescenta o autor do artigo publicado na revista The American Conservative.

Após o incidente, começaram a aparecer apelos às autoridades dos EUA para estas justificarem os ataques a soldados que lutam contra o Daesh, ação que se tornou muito útil para os terroristas. Esta situação poderá aumentar as tensões e no futuro levar ao fracasso de uma solução diplomática, conclui o jornalista.

Os aviões da coalizão anti-Daesh, no sábado, efetuaram quatro ataques contra as tropas sírias, que estavam cercadas por terroristas do Daesh (banido na Rússia), perto de Deir ez-Zor, matando 62 soldados e ferindo cerca de 100. O Pentágono expressou o seu "pesar" e disse que o alvo eram terroristas e não as forças sírias.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала