China: Declaração de Putin é 'um apelo à justiça'

© AFP 2022 / GREG BAKERImagem do mapa que mostra ilhas disputadas no mar do Sul da China, Pequim, China
Imagem do mapa que mostra ilhas disputadas no mar do Sul da China, Pequim, China - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A declaração do presidente russo, Vladimir Putin, em relação à decisão do tribunal de arbitragem internacional sobre a disputa no mar do Sul da China, reflete uma posição justa e objetiva, disse na quinta-feira (8) a representante oficial da chancelaria chinesa, Hua Chunying.

"Apreciamos a declaração do presidente Putin em relação à decisão da arbitragem internacional sobre o mar do Sul da China. Este depoimento da Rússia revela uma posição objetiva e justa", disse Hua Chunying no comunicado.

Exercícios navais dos EUA e das Filipinas nas águas do Mar do Sul da China, em junho de 2014 - Sputnik Brasil
Presidente filipino busca 'aterrissagem segura' na disputa sobre o mar do Sul da China
Ela acrescentou que a declaração de Putin é "um apelo à justiça" para comunidade internacional.

"Todos que defendem a paz e estabilidade do mar do Sul da China vão apoiar a China no seu objetivo de regularização pacífica desta disputa com o envolvimento de países conforme o direito internacional", acrescentou a porta-voz da chancelaria chinesa.

Presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin na cerimônia de abertura de exercícios navais sino-russos na base marítima chinesa em Xangai, China, 2014  (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Rússia e China: saindo da neutralidade ao suporte em importantes conflitos
Vladimir Putin, durante a entrevista coletiva depois da cúpula do G20, disse que a Rússia apoia a posição da China relacionada à decisão da arbitragem de Haia sobre o mar do Sul da China.

A câmara da corte em Haia decidiu, em 12 de julho, que a China não tem direito de reclamar pelos territórios no mar do Sul da China que abrangem os limites da linha de nove pontos. Além disso, foi decido pelo tribunal que os territórios disputados do arquipélago de Spratly não são uma zona econômica exclusiva. A China respondeu que não aceita e não respeita as decisões da arbitragem.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала