Ex-secretário-geral da OTAN acredita que países ocidentais vão fornecer armas à Ucrânia

© AP Photo / Olivier Matthys Anders Fogh Rasmussen, ex-secretário-geral da OTAN e atual conselheiro do presidente da Ucrânia
Anders Fogh Rasmussen, ex-secretário-geral da OTAN e atual conselheiro do presidente da Ucrânia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Anders Fogh Rasmussen, ex-secretário-geral da OTAN e atual conselheiro do presidente da Ucrânia, acredita que o Ocidente irá fornecer armas letais à Ucrânia se a Rússia "desestabilizar o Leste da Ucrânia".

Anteriormente, o assessor do ministro do Interior da Ucrânia Zoryan Shkiryak havia afirmado que os Estados Unidos podem fornecer armas letais a Kiev se Hillary Clinton vencer as eleições. O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko apelou aos representantes da diáspora ucraniana a promoverem o fornecimento de armas ao país.

"A Ucrânia não é membro da OTAN e, portanto, a Aliança não tem um compromisso de segurança com a Ucrânia. No entanto, se a Rússia não implementar os Acordos de Minsk e se continuar a desestabilizar o Leste da Ucrânia, eu acho que chegará o tempo para o Ocidente e para a OTAN de conceder armas letais de defesa à Ucrânia. E então, os militares ucranianos poderão se defender melhor da agressão", disse Rasmussen em entrevista à edição ucraniana Apostrophe, divulgada no domingo.

Ele também observou que as forças Armadas da Ucrânia fizeram um grande trabalho para fortalecer a capacidade de defesa.

A chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente da França, François Hollande - Sputnik Brasil
Putin se reunirá em separado com Merkel e Hollande na China para discutir crise na Ucrânia
Moscou avisou várias vezes sobre os planos de entrega de armas para a Ucrânia, alertando que este passo só vai levar à escalada do conflito em Donbass. Amaioria dos políticos europeus é contra o fornecimento de armas a Kiev. Assim, o chefe da diplomacia da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, afirmou recentemente que o fornecimento de armas para Ucrânia é muito arriscado. O presidente do comité militar da OTAN, Pyotr Pavel, disse que não vê necessidade de fornecimento de armas a Kiev, porque isso "apenas vai aumentar o sofrimento do povo".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала