- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Temer afirma que prioridade é retomar o crescimento econômico do país

© Beto Barata/PRMichel Temer durante pronunciamento
Michel Temer durante pronunciamento - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Depois de tomar posse, Michel Temer disse no primeiro pronunciamento à nação como presidente efetivo, que a prioridade de seu governo será a retomada do crescimento econômico no país.

Segundo Temer o momento é de esperança, de retomada da confiança no Brasil. Para o presidente, a incerteza chegou ao fim e agora é hora de unir o país e colocar os interesses nacionais acima dos interesses de grupos.

"Recebemos o país mergulhado em uma grave crise econômica. São quase 12 milhões de desempregados e mais de R$ 170 bilhões de déficit nas contas públicas. Meu compromisso é o de resgatar a força da nossa economia e recolocar o Brasil nos trilhos. Sobre essa crença destaco os alicerces do nosso governo: eficiência administrativa, retomada do crescimento, geração de emprego, segurança jurídica, ampliação dos programas sociais e a pacificação do país."

No pronunciamento, Temer defendeu novamente a reforma da Previdência e afirmou que o governo em pouco tempo não vai ter condições de pagar aposentadorias sem as mudanças.

"Para garantir o pagamento das aposentadorias, teremos que reformar a Previdência Social. Sem reforma, em poucos anos, o governo não terá como pagar os aposentados. O nosso objetivo é garantir um sistema de aposentadorias pagas em dia, sem calotes e truques. Um sistema que proteja os idosos, sem punir os mais jovens." 

José Eduardo Cardozo e Dilma Rousseff - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Advogado de Dilma quer novo julgamento do impeachment
Após tomar posse, o presidente comandou a primeira reunião ministerial. No encontro, Michel Temer pediu dedicação por parte dos ministros para combater o desemprego e destacou que o diálogo com o Legislativo deve continuar. O presidente pediu ainda que os partidos se unam para aprovar as reformas necessárias ao país no Congresso. Temer ressaltou também que acabou a fase dos insultos por parte dos aliados de Dilma e que agora não vai mais admitir ser chamado de golpista.

"É fundamental que junto aos seus colegas dos partidos políticos preguem a necessidade das reformas urgentes que o Brasil precisa, e que não são muitas. O teto constitucional, por exemplo, o teto de gastos é uma coisa fundamental para o país. Contestar a partir de agora essa coisa de golpista. Me lembro do Ministro Moreira Franco, que dizia de vez em quando você vai a um lugar e ouve golpista, golpista diz ele, golpista é você, que está contra a Constituição. Golpe é aquele que propõe a ruptura constitucional."

Após o encontro com os ministros, Michel Temer viajou para a China, onde participará da cúpula do G20. No encontro do grupo, vão ser assinados acordos comerciais entre empresas chinesas e companhias brasileiras.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала