Aviões russos no Irã criam 'situação embaraçosa' para Obama

Nos siga noTelegram
O surgimento de bombardeiros russos na base aérea de Hamadã foi de grande importância tanto para o conflito sírio, quanto para um contexto político mais amplo, escreve o analista do The National Interest, Daniel DePetris.

Bombardeiro russo de longo alcance Tu-22M3 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
'Aviação russa voltará ao Irã quando o tempo chegar'
Primeiramente, observa ele, os aviões russos, que realizavam voo saindo de Hamadã, carregavam menos combustíveis e munição, possibilitando serem realizadas pelos pilotos mais manobras de ataque.

Em segundo lugar, de acordo com o analista, o uso da base iraniana fez com que Moscou "colocasse publicamente o presidente Obama em uma situação embaraçosa, mostrando quão confusa e instável é a política dos EUA sobre a Síria".

A Rússia, explica o autor, está pronta para oferecer apoio militar a Damasco para reforçar a sua posição. Mesmo Washington tendo manifestado sua posição contra o governo sírio, ainda não se ouviu falar sobre intervenção direta.

Caças russos Su-34 - Sputnik Brasil
Uso de Hamadã pela Rússia viola Constituição do Irã?
Em terceiro lugar, continua DePetris, a cooperação entre Moscou e Teerã também pode "dissipar o otimismo" da Casa Branca sobre as alterações de política regional do Irã. Apesar do acordo bem-sucedido sobre o programa nuclear iraniano, no Oriente Médio, Teerã e Washington ainda atuam em lados opostos.

Embora, segundo informações, a cobertura da mídia russa em Hamadã esteja causando a insatisfação dos iranianos, ainda é cedo para saber se tal descontentamento irá influenciar na decisão do Irã de permitir que a Rússia continue utilizando a base aérea de Hamadã.

"Uma coisa é evidente: Moscou continua usando o conflito sírio para demonstrar o seu próprio domínio", conclui o colunista do The National Interest.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала