Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Paes vai recorrer à Justiça contra proibição de repasses para realização de Paralimpíada

REPORTAGEM RECURSOS PARALIMPIADAS 2 DE 15 08 16
Nos siga no
O Prefeito do Rio, Eduardo Paes se reuniu nesta segunda-feira (15) com o Comitê Paralímpico Internacional e disse para a imprensa que vai recorrer contra a decisão da Justiça Federal proibindo que a União e o Município libere recursos públicos ao comitê organizador dos Jogos Paralímpicos, que começa dia 7 de setembro.

Vila Olimpica - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Prefeitura do Rio e Rio 2016 correm para consertar falhas na Vila Olímpica
Conforme a liminar concedida na última sexta-feira (12), pela juíza Márcia Maria Nunes de Barros, a proibição deve ser mantida até que os gastos com a Olimpíada sejam mais transparentes e divulgados pelo Comitê Rio 2016.

Sem confirmar que o Comitê esteja precisando dos recursos, por conta de gastos extras, Eduardo Paes admitiu que os Jogos Paralímpicos atraem menos patrocinadores, vendem menos cotas de transmissão e menos ingressos.

De acordo com Paes, se for necessário e houver a queda da liminar, o Prefeito afirmou que o município tem condições de fazer um aporte de até R$ 150 milhões para garantir a realização da Paralimpíada.

"Se nós caminharmos nessa direção mesmo, vamos deixar bem explícito aonde serão aportados e para que, e aonde serão aportados os valores necessários para a realização da Paralimpíada."

Sem dar muitos detalhes, o coordenador de comunicação do Comitê Rio 2016, Mário Andrada, apenas disse para a imprensa que o cronograma para a realização da Paralimpíada segue como planejado.

"O nosso compromisso com os Jogos Paralímpicos seguem inalterados e qualquer discussão mais específica só vai poder acontecer em público depois das questões legais estarem totalmente esclarecidas e equacionadas." 

Paes ainda destacou que o comitê é uma entidade privada que não acompanha as mesmas normas de transparência do serviço público. "Como eles funcionam com recursos privados é natural que eles não queiram se submeter as regras a que um setor público tem que ter."

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала