Japão desloca navios de guerra para apoiar Filipinas no mar do Sul da China

CC BY 2.0 / Times Asi / Navio da Guarda Costeira do Japão
Navio da Guarda Costeira do Japão - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Enquanto Tóquio mantém uma disputa com Pequim sobre uma série de ilhas no mar da China Oriental, ele vai também deslocar material bélico para mar do Sul da China, apoiando Manila com navios e aeronaves.

"Estamos falando sobre navios pesados de 90 metros", disse Masato Ohtaka vice-secretário de imprensa do Ministério das Relações Exteriores do Japão. "Estamos discutindo também a possibilidade de deslocação de aviões de treinamento. São aviões de vigilância". 

Isto para além dos dez navios da Guarda Costeira prometidos ao anterior governo de Manila.

O helicóptero estadunidense MH-60R Seahawk está decolando do navio USS Fort Worth (LCS 3) no mar do Sul da China - Sputnik Brasil
Pequim cruza 'linha vermelha' de Washington no mar do Sul da China
A iniciativa surge como parte de um esforço renovado para fortalecer os laços militares entre os dois países, o que incluirá igualmente a partilha com Manila de informação e recolha de dados em relação às atividades militares da China.

Os serviços da inteligência comunicaram nesta semana à agência norte-americana Washington Free Beacon que Pequim tinha intensificado o número de navios militares na zona disputada, violando a "linha vermelha" traçada pela administração Obama. 

"Estamos muito preocupados" disse Ohtaka, acrescentando que "as coisas não estão melhorando no mar da China Oriental".

Ilha Thitu do arquipélago Spratly no Mar do Sul da China - Sputnik Brasil
Rússia e China pretendem realizar exercícios navais conjuntos no Mar do Sul da China
Em janeiro de 2013, as Filipinas contestaram unilateralmente, no Tribunal Internacional do Direito do Mar, as reivindicações chinesas em relação a uma série de territórios no mar do Sul da China, mas Pequim se recusou oficialmente a abordar tais questões no âmbito jurídico internacional. A China inicialmente se recusou a tomar parte no processo, considerando o pedido unilateral das Filipinas como ilegal. Pequim sempre insistiu que o tribunal não tem competência para apreciar a questão, que diz respeito a disputas territoriais.

Os Estados Unidos não têm nenhuma reivindicação territorial na região.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала