Ministério das Finanças sírio: 'apoio às forças armadas é prioridade no orçamento'

© AP Photo / Khalil AshawiRefinaria de petróleo em Marchmarin, na Síria
Refinaria de petróleo em Marchmarin, na Síria - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A principal prioridade para o Ministério das Finanças da República Árabe da Síria é continuar o apoio às Forças Armadas e a proteção do povo, afirmou nesta sexta (12) Mamun Hamdan, o ministro das Finanças do país, em uma entrevista à agência Sputnik Árabe.

O ministro sublinhou que é preciso analisar as medidas de prevenção das perdas em diferentes setores públicos, bem como acordar o orçamento com todas as estruturas governamentais para atender às necessidades básicas. 

"A prioridade foi anunciada: apoio às forças armadas e assegurar a proteção do povo e todas as vítimas e famílias dos mortos e feridos. O exército sírio está lutando contra os terroristas e a atividade econômica deve estar pronta para sacrifícios pelo bem da Síria", disse o ministro.

Segundo a fonte, o Ministério das Finanças está enfrentando constantemente dificuldades de financiamento. A guerra afetou fortemente todos os setores da economia, por isso o governo procura novas fontes de financiamento para atender às principais necessidades.

​A partir do início de funcionamento do novo governo, foi elaborada uma estratégia com base em ordens do presidente Bashar Assad. No Parlamento a prioridade foi dada ao apoio às empresas privadas e públicas do setor da economia para mobilizá-las e oferecer as condições necessárias para a recuperação da vida econômica na Síria.

Veículos e tanques do exército da Turquia aguardam perto da fronteira com a Síria - Sputnik Brasil
Turquia pode fechar fronteira com a Síria
O Ministério das Finanças continua apoiando os diferentes setores públicos e privados com base na análise de projetos, apresentados pelas fábricas e empresas, para o reinício da produção. 

"Em relação ao apoio às empresas privadas, depois de várias reuniões com fabricantes, exportadores e outros agentes econômicos, decidimos apoiá-los de várias maneiras e oferecer-lhes todo o tipo de benefícios. Se forem encontradas leis que impeçam o trabalho deles, nós vamos alterá-las", concluiu o ministro.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала