Mídia: EUA planejam introduzir mais sanções contra Rússia por intervenção na eleição

© AFP 2022 / GREGG NEWTONPresidenciável norte-americano Donald Trump se despede com apoiantes depois do seus discurso em Kissimmee, estado de Florida, EUA, 11 de agosto de 2016
Presidenciável norte-americano Donald Trump se despede com apoiantes depois do seus discurso em Kissimmee, estado de Florida, EUA, 11 de agosto de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Washington considera que o ataque hacker contra servidores do Partido Democrático dos EUA foi realizado pela Rússia e discute introdução de novas sanções contra Moscou, informou o jornal norte-americano The Wall Street Journal.

Pessoas assistem videoconferência com o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, Quito, Equador, junho de 2016 - Sputnik Brasil
Assange descobre segredo da 'marca russa' em ataques contra software do Partido Democrata
Depois do ataque contra servidores do Comitê Nacional do Partido Democrata, o site WiliLeaks publicou 19 mil e-mails que indicam que durante eleição primária, o Partido trabalhou a favor da candidatura de Hillary Clinton contra Bernie Sanders, outro democrata que queria candidatar-se à presidência norte-americana. A equipe de Clinton acusou a Rússia pelas intervenções, alegando apoio da Rússia na candidatura de Donald Trump do Partido Republicano, para que consequentemente ele se tornar-se novo presidente dos EUA. Funcionários da Agência Federal de Investigação (FBI) e da inteligência norte-americana acreditam que os ataques hackers foram cometidos pela Rússia.

Para introduzir sanções, destaca a publicação, a Casa Branca tem de apresentar acusações públicas contra Moscou ou hackers ligados à Rússia. Entretanto, as autoridades norte-americanas não nomearam os envolvidos no ataque.

Caminhão com inscrição Wikileaks em frente à Casa Branca, em Washington DC, Estados Unidos - Sputnik Brasil
WikiLeaks: 'Nova estratégia de Clinton é contra Moscou'
Além disso, tal decisão exigirá um consenso dentro das estruturas governamentais norte-americanas, mas os oficiais dos EUA ainda não chegaram a um acordo sobre o assunto, disse o jornal citando fontes.

Moscou considera estas acusações absurdas, que nas palavras do porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, "são insanas". O Kremlin destaca que Moscou evita palavras e ações que possam intervir no processo eleitoral.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала