Terrorista evita prisão de 15 anos por burocracia na Bélgica

© REUTERS / Yves HermanO bairro superlotado de Molenbeek na cidade belga de Bruxelas
O bairro superlotado de Molenbeek na cidade belga de Bruxelas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Fátima Aberkan, uma marroquina condenada na Bélgica a 15 anos de prisão por ser ativista do grupo terrorista Daesh, foi libertada por razões burocráticas apenas quatro meses após o veredito, informou o jornal belga Dernière Heure.

Soldado belga fora de estação de metrô de Maelbeek no centro de Bruxelas, Bélgica, 22 de março de 2016 - Sputnik Brasil
Bélgica pagou 50 mil euros a terroristas de Bruxelas e Paris
O grupo terrorista Daesh, ou autoproclamado Estado Islâmico, proibido na Rússia e outros países, ganhou muitos seguidores na Bélgica, onde ele conseguiu executar vários atentados.

Segundo o advogado da "musa do Daesh" Cedric Moisse, citado pelo Dernière Heure, a mulher foi libertada porque passados cinco meses desde a apresentação do apelo de cassação, a data da audiência de julgamento não chegou a ser definida.

Fátima Aberkan, que tinha contatos com Khalid Zerkani, responsável pelo envio de dezenas de jovens para a Síria, apenas deve cumprir algumas condições para evitar a prisão: evitar ir à comuna de Molenbeek, não atravessar a fronteira belga, entregar os passaportes marroquino e belga, não sair de casa das 10 da noite às 6 de manhã, assistir a um centro de desradicalização e não visitar sites que defendem a jihad e o terrorismo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала