The National Interest analisa os principais bombardeiros russos das próximas décadas

Nos siga noTelegram
O bombardeiro supersônico estratégico modernizado Tu-160M2 será o modelo-base para o futuro próximo da Rússia se Moscou continuar o financiamento do projeto, diz o analista militar da revista The National Interest Dave Majumdar.

Bombardeiro Tu-160 é escoltado por um caça Su-27 em um voo de treinamento da Força Aérea da Rússia - Sputnik Brasil
Conheça forças aéreas nacionais mais poderosas do mundo
O avião Tu-160M2 (codificação da OTAN – Blackjack, ou Cassetete em português) é uma versão melhorada do Tu-160 soviético. Apesar do fato de o Tu-160m2 ser estruturalmente semelhante ao seu modelo original, o Tu-160M2 é completamente diferente do seu antepassado. O avião modernizado será equipado com os mais recentes sistemas de combate, bem como as últimas versões do motor turbojato NK-32, escreve a The National Interest.

O primeiro voo do Tu-160M2 pode acontecer no final de 2018 e sua produção em massa começará em 2021. Cerca de 50 novos aparelhos são esperados para entrega à Força Aérea e à Força Aeroespacial russa. Ao mesmo tempo, o Tu-160M2 não pode substituir um “veterano” da Força Aérea que é o bombardeiro estratégico Tu-95 (codificação da OTAN – Bear, ou Urso).

O Tu-95 permanecerá ao serviço como o principal bombardeiro russo, pelo menos, nas próximas duas décadas. Agora os Tu-95 estão sendo modernizados para transportar mísseis de cruzeiro Kh-101 e Kh-102.

De acordo com a The National Interest, a carga de um bombardeiro é muito mais importante do que o próprio bombardeiro. Os mísseis de cruzeiro estratégicos Kh-101, que foram utilizados em operações na Síria, e Kh-102 (uma versão do Kh-101 com ogiva nuclear) utilizam tecnologia furtiva (stealth). Eles se destinam a invadir o espaço aéreo protegido do inimigo e permitem atacar de longe.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала