Deputado francês responderá por 'marionetas de Putin'

© Sputnik / Vitaly Belousov / Abrir o banco de imagensRegiões da Rússia. Crimeia
Regiões da Rússia. Crimeia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O deputado que visitou a Crimeia em julho vai processar o seu colega francês que lhe acusou de não ser imparcial relativamente à Rússia.

© AFP 2022 / VASILY MAXIMOVThierry Mariani
Thierry Mariani  - Sputnik Brasil
Thierry Mariani
O deputado do Conselho Nacional da França Thierry Mariani pretende apelar para um tribunal contra o deputado-socialista Alexis Bachelay que na sua página de Twitter chamou o grupo de deputados franceses que visitaram Crimeia de "marionetas de Putin".

A respectiva informação foi divulgada em 2 de agosto pelo jornal Le Figaro.

Na sua conta de Twitter o socialista escreveu: "Anualmente 11 marionetas de Putin viajam à Crimeia por dinheiro. Espero que eles tenham sido pagos em euros e não em rublos".

​Na entrevista com a Sputnik França, Mariani, que em julho chefiou o grupo de 10 legisladores franceses durante a visita de quatro dias à Crimeia, partilhou com exclusividade a sua opinião sobre esta situação.

"Nós estamos cansados de certas acusações infundadas por parte de Bachelay, que é deputado e deve compreender a sua responsabilidade. As suas declarações são inaceitáveis".

Além disso, o político criticou a rede social Twitter:

"O problema do Twitter é que ele se tornou em um palco para acusações infundadas e, mais do que isso, para vilezas, já que a maioria se expressa lá não sob o seu nome real". 

Grafiti patriótico relacionado à reintegração da Crimeia à Rússia - Sputnik Brasil
Deputado francês aconselha comunidade internacional a reconhecer Crimeia
Após visitar a península, que recentemente aderiu à Rússia, os deputados admitiram que a comunidade internacional deveria reconhecer que a Crimeia é parte da Rússia e se concentrar na solução dos problemas de Donbass. 

Seja como for que a situação se desenvolva, os fatos continuam: a península de Crimeia se separou da Ucrânia e foi reintegrada à Rússia em março de 2014 após um referendo em que mais de 96% da população da península votou por esta opção.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала