Organização Atômica do Irã suspeita três países de roubo

© AP Photo / ISNA, Hamid ForoutanUma usina nuclear de água pesada na cidade de Arak, Irã (Foto de arquivo)
Uma usina nuclear de água pesada na cidade de Arak, Irã (Foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Teerã suspeita três países de estarem por trás do vazamento de documentos secretos sobre o programa nuclear iraniano, disse no domingo (31) o porta-voz da Organização de Energia Atômica iraniana Bahrouz Kamalvandi.

No início de julho, a mídia publicou um relatório, com base em documentos secretos iranianos, que afirmavam que as principais restrições contra o programa nuclear iraniano seriam facilitadas dentro de 11-13 anos. Isso permitiria que Teerã atualizasse mais de 5.000 centrífugas e pudesse obter uma bomba nuclear, se fosse necessário, em seis meses.

Kamalvandi não especificou quais foram os países que alegadamente implicados nos vazamentos, acrescentando que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) negou seu envolvimento.

"Nós apresentámos um protesto contra o incidente. Não vamos ter medo da publicação completa do documento, mas ele não deve ficar nas mãos da mídia internacional tão rapidamente", destacou Bahrouz Kamalvandi.

Uma planta nuclear - Sputnik Brasil
Irã nuclear: mudança de cenário
Ele acrescentou que Teerã iria procurar uma "solução para o vazamento".

Em 14 de julho de 2015, o Irã e o sexteto negocial — Estados Unidos, China, França, Rússia e Grã-Bretanha, mais a Alemanha — assinaram um Plano Global de Ação Conjunta, que garantiu a natureza pacífica do programa nuclear do Irã. O Irã concordou em admitir inspetores da AIEA a locais em que a agência quer verificar a ausência de material e atividades nucleares em troca do alívio das sanções.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала