Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Após polêmica, Comitê finaliza reparos na Vila Olímpica e entrega prédios para delegações

REPORTAGEM VILA OLIMPICA ENTREGUE 2 DE 29 07 16
Nos siga no
Às vésperas da abertura das Olimpíadas, o Comitê Organizador dos Jogos entregou oficialmente os 31 prédios que vão abrigar as delegações e afirma que a Vila dos Atletas está completamente pronta. O local foi alvo de muitas críticas por problemas na infraestrutura dos apartamentos, localizados na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio.

Presidente do COB, Carlos Nuzman vistoria instalações olímpicas no Rio - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Nuzman diz que chegada antecipada de atletas à Vila Olímpica atrapalhou reparos finais
A pior reclamação veio da delegação da Austrália, que apontou problemas na parte hidráulica e elétrica dos apartamentos. Os australianos chegaram a deixar a Vila Olímpica e ir para um hotel, em meio a um certo desentendimento com o prefeito do Rio Eduardo Paes, que também já foi resolvido.

O Diretor de Operações do Comitê Rio 2016, Rodrigo Tostes reuniu a imprensa na Vila e informou, após admitir problemas,  que os 31 prédios estavam concluídos em definitivo, e que a partir de agora se necessário só vão ser feitos reparos eventuais.

"Problemas de entupimento, problemas de vazamento, de hidráulica, problemas de energia aconteceram em vários apartamentos sim, nós atuamos e já resolvemos e estamos entregando a Vila toda pronta para os atletas. Segundo todos eles, a melhor Vila que eles já tiveram."

A Vila Olímpica tem capacidade para receber 17.950 pessoas em 3.604 apartamentos. Com o fim dos reparos, os trabalhadores temporários contratados de emergência para os serviços vão ser dispensados.

Na quarta-feira (27), o Comitê organizador e empresas terceirizadas que faziam os trabalhos de emergência na vila foram autuados pelo ministério do Trabalho, que alega que 630 funcionários estavam trabalhando na Vila sem registro em carteira. O Ministério do Trabalho denunciou ainda que os empregados estavam realizando turnos ilegais de 23 horas de trabalho. Se as irregularidades forem comprovadas, o Comitê poderá pagar multas de até R$ 315 mil. Rodrigo Tostes afirmou que não houve jornada de 23 horas de trabalho e garantiu que toda a documentação sobre as contratações vai ser entregue ao Ministério do Trabalho. 

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала