Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Novo quebra-gelo mais potente do mundo está sendo construído na Rússia

© Foto / imprensa da Estaleiros do Báltico  / Abrir o banco de imagensQuebra-gelo Arktika
Quebra-gelo Arktika - Sputnik Brasil
Nos siga no
A construção do novo quebra-gelo atômico Ural, da série do projeto 22220, começou em São Petersburgo nos estaleiros do Báltico, informa o correspondente da RIA Novosti.

Obras de construção de quebra-gelo nuclear 'Arktika' nos estaleiros de São Petersburgo - Sputnik Brasil
Quebra-gelo russo Arktika se prepara a sair do estaleiro
O Ural se tornará o segundo quebra-gelo da série do projeto 22220. A construção do quebra-gelo Arktika (Ártico) começou em novembro de 2013 e seu lançamento à agua foi no dia 16 de junho de 2016. 

"Iniciámos a construção do quebra-gelo antecipando o prazo. Segundo o prazo, a construção do quebra-gelos devia ser iniciado dentro de dois meses. É muito importante para nós que o ritmo acelerado tomado pela empresa onde trabalham as pessoas que estão construindo os novos quebra-gelo não tenha abrandado (…). Estamos assegurando o financiamento acelerado dos estaleiros do Báltico, todos os empréstimos necessários foram transferidos no fim de junho", disse o chefe da Rosatom Sergey Kirienko na cerimônia do início da construção. 

Атомный ледокол Советский Союз в порту Мурманска - Sputnik Brasil
Os 10 maiores quebra-gelos do mundo
Ele acrescentou que a entrega do quebra-gelo Arktika está planejado para o fim de 2017, a do Sibir (Sibéria) para 2019 e a do Ural para 2020.

"Esta série de quebra-gelo é muito importante para a capacidade defensiva do país, para a competitividade de ponto de vista do trânsito de mercadorias através da Passagem do Nordeste e para a extração de recursos únicos da plataforma continental no norte do país", acrescentou ele. 

Nuclear ‘Arctic’: Russia Launches World's Largest Icebreaker - Sputnik Brasil
O poder do átomo: veja quebra-gelo mais poderoso do mundo construído na Rússia
Os quebra-gelos atômicos são necessários para garantir a liderança da Rússia no Ártico. Eles são capazes de acompanhar comboios de navios, quebrando gelo com espessuras até 3 metros. 

O comprimento do quebra-gelos atômico do projeto 22220 vai ser de 173,3 metros, boca – 34 metros, deslocamento – 33,5 mil toneladas, tripulação – 75 elementos. 

Segundo o cenário previsto, os estaleiros do Báltico vão construir três quebra-gelos: Arktika, Sibir e Ural. Eles vão ser os maiores e mais potentes do mundo.  

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала