Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Banco dos BRICS aprova financiamento para a Rússia e conclui acordo com o BNDES

© REUTERS / Aly SongPresidente do NBD, Kundapur Vaman Kamath (esquerda), ministro das Finanças da China, Lou Jiwei (centro), e prefeito de Xangai, Yang Xiong, participam da cerimônia de abertura do Banco do BRICS
Presidente do NBD, Kundapur Vaman Kamath (esquerda), ministro das Finanças da China, Lou Jiwei (centro), e prefeito de Xangai, Yang Xiong, participam da cerimônia de abertura do Banco do BRICS - Sputnik Brasil
Nos siga no
Foi realizada nesta quarta-feira, em Xangai, a primeira reunião anual do Conselho Diretor do Novo Banco de Desenvolvimento dos BRICS (NDB).

Nesta reunião, o banco aprovou o financiamento do projeto de construção de hidrelétricas de pequeno porte na República da Carélia, na Rússia, no valor de 100 milhões de dólares. Além disso, foi celebrado um acordo-quadro com o BNDES e com o Banco Asiático de Desenvolvimento. 

"Hoje, o conselho de diretores celebrou um acordo-quadro com duas instituições: Banco Asiático de Desenvolvimento e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social", disse o vice-ministro russo. Após a celebração desse acordo, as partes poderão finalmente inciar um diálogo mais específico e começar a negociar a realização de projetos concretos, disse o vice-ministro das finanças da Rússia, Sergei Strochak, que elogiou o trabalho realizado pelo presidente do banco, o indiano Kundapur Vaman Kamath.

Kundapur Vaman Kamath apresentando bonds verdes em 12 de julho em Xangai - Sputnik Brasil
Banco dos BRICS prepara emissão de valores de R$ 1,5 bi em breve
"No início de toda instituição, ainda mais de uma instituição multilateral de desenvolvimento, há muito trabalho técnico, de rotina e pouco interessante a ser feito. O presidente e a sua equipe realizaram esse trabalho com sucesso e já conseguimos tomar decisões relacionados à nossa atividade, no âmbito dos projetos. Nesse sentido, a Rússia, na qualidade de acionista, está satisfeita com o trabalho realizado neste primeiro ano, desde a inauguração da instituição", disse Strochak aos jornalistas em Xangai, após a reunião anual do NDB.

O vice-primeiro ministro da China, Zhang Gaoli, discursou durante a cerimônia de abertura do conselho de diretores garantiu que o governo da China seguirá apoiando as atividades do banco de desenvolvimento dos BRICS.

"China concedeu muitas condições favoráveis para a instituição e o funcionamento do banco. O governo da China seguirá oferecendo apoio ao NDB, para que o banco possa operar com sucesso", disse Zhang Gaoli.

"Os países do BRICS estão enfrentando diversos desafios e ameaças. Tenho certeza de que as dificuldades também trazem oportunidades. Devemos transformar crises em oportunidades. Estamos certos de que a tendência de fortalecimento do peso dos países do BRISCS será mantida. O nosso papel seguirá aumentando arena global", disse o chinês.

Moedas comemorativas da Cúpula dos BRICS em Ufa, Rússia em 2015 - Sputnik Brasil
Títulos dos BRICS: primeiro em iuanes e depois…
Ainda nesta quarta, o banco aprovou financiamento para construção de pequenas hidrelétricas na República da Carélia, na Rússia. O financiamento, no valor de U$100 milhões será repassado para os parceiros do NDB: Banco de Desenvolvimento Euroasiático (BDE) e Banco Internacional de Desenvolvimento.

O especialista russo Aleksandr Apokin, diretor do grupo de pesquisa da economia mundial do Centro de Análise Macroeconômica e de Previsões de Curto Prazo da Rússia, explicou o procedimento em entrevista para a rádio Sputnik.

"O banco dos BRICS é um banco de desenvolvimento de escala global, e deve possuir expertise no âmbito dos projetos que financia. Por isso a parceria com os dois bancos intermediários, que possuem grande expertise nesse campo em países da CEI e da União Euroasiática."  

Segundo o especialista, "Brasil, Índia e China já aprovaram projetos dessa escala" no âmbito do NDB, e "agora é a vez da Rússia". 

Bandeiras nacionais dos países membros do BRICS - Sputnik Brasil
‘Sem dólar’ e sem concorrer com FMI: Conheça a fundo o projeto econômico dos BRICS
Com sede em Xangai (China), o Banco dos BRICS é um banco de desenvolvimento multilateral, operado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul como uma alternativa ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional (FMI). A instituição tem como meta promover a cooperação financeira e o desenvolvimento de mercados emergentes. Cada membro contribui com 20% do capital do banco, tendo direito ao mesmo poder de voto.

Até o momento, 45 pessoas já foram contratadas para trabalhar na sede da instituição em Xangai. Até o final do ano, o quadro de funcionários da instituição deve aumentar para 100.  

O Bando dos BRICS começou a funcionar no ano passado, em 20 de julho de 2015. Durante o último ano, o banco aprovou os seus primeiros cinco projetos na área de infraestrutura, recebeu a qualificação AAA das agências financeiras chinesas Chengxin International Credit Rating e China Lianhe Credit Rating, e lançou no mercado chinês títulos de crédito para energia renovável no valor de 4 bilhões de yuans (cerca de R$1,9 bilhões).

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала