Maduro pede punição de empresa que enganava os trabalhadores venezuelanos

Nos siga noTelegram
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, informou que solicitará à Interpol que procure os donos da empresa Kimberly-Clark por enganar os trabalhadores e fugir do país.

"Serão presos os que devem ser presos, estejam onde estiverem porque nós vamos solicitar o código vermelho de Interpol", advertiu na noite da segunda-feira Maduro, fazendo um balanço de um plano para acabar com a escassez de alimentos.

Uma menina entre rolos e faixas de papel higiênico - Sputnik Brasil
Guerras de papel higiênico na Venezuela ganham força
A empresa foi tomada pelos funcionários e o Governo, há duas semanas, depois que sua diretiva anunciou a cessação de operações, alegando deterioração das condições econômicas do país.

Maduro assegurou que as linhas de produção da fábrica estão completamente operativas.

Nas instalações da Kimberly-Clark, na cidade de Maracay, no estado de Aragua, são fabricadas fraldas, toalhas e papel higiênico, entre outros produtos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала