Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Theresa May está disposta a usar armas nucleares para proteger Reino Unido

© REUTERS / Andrew YatesPrimeira-ministra britânica Theresa May
Primeira-ministra britânica Theresa May - Sputnik Brasil
Nos siga no
A primeira-ministra britânica Theresa May declarou que está pronta para utilizar armas nucleares para assegurar a proteção do Reino Unido.

A demonstrator wearing a mask to impersonate Tony Blair protests before the release of the John Chilcot report into the Iraq war, at the Queen Elizabeth II centre in London, Britain July 6, 2016. - Sputnik Brasil
Grã-Bretanha pagou na totalidade por seguir política externa dos EUA
Em seu discurso no parlamento, a primeira-ministra britânica Theresa May disse que as armas nucleares se tornarão na base da segurança do país.

A questão da segurança foi o objeto principal da intervenção da chefe do gabinete de ministros. 

Ela também anunciou que vai permitir a realização de um ataque nuclear capaz de matar milhares de pessoas se isso garantir a segurança do Reino Unido, comunica o jornal the Telegraph

​Anteriormente ela tinha declarado que o Reino Unido tem que modernizar seu escudo nuclear, devido à ameaça por parte da Coreia do Norte e da Rússia. O programa de modernização, segundo ela, deve consistir na criação de uma nova frota de submarinos equipada com sistemas de misseis Trident.  

Soldados britânicos - Sputnik Brasil
Grã-Bretanha aprova medidas para enfrentar a 'ameaça russa'
Na segunda-feira (11), Theresa May se tornou a única candidata ao posto de primeiro-ministro britânico depois de sua rival, Andrea Leadsom, ter retirado a candidatura. No mesmo dia, Cameron antecipou sua renúncia para quarta-feira.

Uma das declarações mais importantes de May foi de que ela é contrária a qualquer tentativa de congelamento do processo de saída da Grã-Bretanha da UE ou à realização de um novo referendo sobre o tema. Segundo May, o processo de saída da UE levará alguns anos e o artigo 50 do Tratado de Lisboa não será acionado até o fim do ano. Ou seja, a situação dos britânicos residentes na EU, e dos cidadãos da UE residentes na Grã-Bretanha, não será afetada no futuro próximo.  

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала