Paraguai: 120 detentos se amotinam e tomam reféns em prisão de Tacumbú

Nos siga noTelegram
Um grupo de pelo menos 120 detentos da penitenciária nacional de Tacumbú, no Paraguai, se embarricou no pavilhão 5 da prisão, onde são mantidos os prisioneiros mais perigosos, depois de tomar dois guardas como reféns.

Forças de segurança na cidade de Monterrey, no México, onde, segundo a imprensa local, pelo menos 30 pessoas morreram em um motim na prisão de Topo Chico - Sputnik Brasil
Inferno em Monterrey: Motim deixa mais de 50 mortos em prisão no México
Segundo relata o La Nación, o conflito começou por volta das 8h, no horário local, durante uma verificação de rotina, quando os prisioneiros se amotinaram e tomaram como reféns os guardas Néstor Bogado e Francisco Paredes. Ambos foram liberados 15 minutos mais tarde com ferimentos na cabeça e pescoço, respectivamente.

Após a tomada de reféns, os presos se embarricaram no pavilhão 5, onde permanecem amotinados. Conforme um guarda de Tacumbú relatou à Rádio Monumental, os detentos "têm todos os tipos de armas" e queimaram colchões.

​Dois pelotões antimotim e a Força Operativa da Polícia Especial (FOPE) do Paraguai entraram na prisão e tentam normalizar a situação pelo diálogo, sem ter que recorrer à força. Muitos presos já se renderam.

​Os prisioneiros envolvidos no incidente pertencem aos grupos Primeiro Comando Capital (PCC), Associação Campesina Armada (ACA) e Exército do Povo Paraguaio (EPP).


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала