- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Ex-ministro Paulo Bernardo é solto em SP e reclama de prisão

© José Cruz;Agência BrasilPaulo Bernardo é levado por Agentes para o avião da Polícia Federal rumo a São Paulo
Paulo Bernardo é levado por Agentes para o avião da Polícia Federal rumo a São Paulo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ex-ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, deixou nesta quarta-feira (29), por volta de 22h30, a sede da Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo, onde estava preso desde a última quinta-feira (23), informou Agência Brasil.

Sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Operação Custo Brasil: STF manda soltar Paulo Bernardo
Ao sair, o ex-ministro deu uma entrevista, na qual classificou a sua prisão de desnecessária. Paulo Bernardo disse a jornalistas que é inocente.

“Quero dizer que sou inocente. Isso vai ficar demonstrado. Acho que essa prisão não era necessária porque eu estava em local determinado, absolutamente encontrável, me coloquei à disposição da Justiça várias vezes. Mandei petições para o juiz, Ministério Público e advogados me colocando à disposição para depor e, durante dez meses, não fui chamado. Portanto, não vi nenhum motivo para isso [para a prisão]. Felizmente o ministro Toffoli, do Supremo, teve o mesmo entendimento”, disse.

De acordo com a investigação, o ex-ministro recebia recursos de um esquema de fraudes no contrato para gestão de empréstimos consignados no Ministério do Planejamento.

Além de Paulo Bernardo, deixaram também a sede da Polícia Federal na noite de quarta-feira o advogado Guilherme de Salles Gonçalves, Joaquim José Maranhão da Câmara, Daisson Silva Portanova, Dércio Guedes de Souza, Emanuel Dantas do Nascimento, Washington Luis Viana e Valter Correia da Silva, ex-secretário municipal de Gestão de São Paulo. Já o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, que cumpre pena a que foi condenado na Operação Lava Jato pelo juiz Sergio Moro, o ex-tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, e Nelson Luiz Oliveira Freitas, permanecerão presos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала