Poroshenko diz que segurança em Donbass vem antes da reforma constitucional

© REUTERS / Andrew KravchenkoPyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia, em reunião de gabinete em Kiev
Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia, em reunião de gabinete em Kiev - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Ucrânia vai introduzir alterações à Constituição do país somente depois que o regime de cessar-fogo for cumprido na região de Donbass. A declaração é do presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, nesta terça-feira, durante uma entrevista à televisão francesa.

"Na minha opinião, tudo é muito óbvio e baseia-se na lógica dos acordos de Minsk, isto é, compreende várias partes. A primeira prioridade é a segurança. Isso significa que temos de ter um regime verdadeiro de cessar-fogo. Infelizmente, a situação não é assim", disse o presidente.

Dmitry Peskov, porta-voz do presidente russo - Sputnik Brasil
Rússia afirma que não tem lógica vincular sanções aos Acordos de Minsk
Poroshenko diz que Kiev tem cumprido a sua parte dos acordos de Minsk. "A Ucrânia retirou parte de suas armas e coopera com a Missão Especial de Monitoramento para a Ucrânia da Organização para a Segurança e Cooperação da Europa, que tem repetidamente sublinhado que Kiev está cumprindo as suas obrigações", disse ele.

Os acordos de Minsk, acertados em fevereiro de 2015 para resolver o conflito em Donbass, preveem, entre outros pontos, um cessar-fogo, a retirada de armas pesadas, a adoção de um status especial para as autoproclamadas repúblicas populares de Lugansk e Donetsk e a celebração de eleições locais nestes territórios. 

Em abril de 2014 as autoridades ucranianas lançaram uma operação militar contra Donetsk e Lugansk, que se declararam independentes após o golpe de Estado em fevereiro de 2014.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала